×

Conune | MDB, REDE e 3 reitores falam na abertura do congresso da UNE, mas estudantes não têm voz

3 reitores falaram, um deles dirige a Universidade Federal de Goiás e foi responsável pelo corte de bolsas para 613 estudantes em 2020, assim como deputados da pior espécie, como Marcelo Castro do MDB, acusado de corrupção por apoiar a eleição de Eduardo Cunha nas eleições legislativas de 2014, Lídice da Mata e Aliel Machado do PSB, também acusados de receberem propina. O convite a inimigos significou ao mesmo tempo que estudantes não se expressassem.

quinta-feira 15 de julho | Edição do dia

Imagem: Reprodução Youtube

A abertura do Congresso Extraordinário da UNE foi marcada pela fala de diversos deputados e reitores inimigos de estudantes e trabalhadores. Essa unidade com a direita não soma na batalha contra Bolsonaro e Mourão, são setores acusados de corrupção, envolvidos com grandes empresários e que não compartilham dos nossos interesses. Nossa unidade é nas ruas entre os trabalhadores e estudantes contra Bolsonaro e Mourão e não com a direita.

Marcelo Castro esteve nas relações da J&F acusado de receber 1 milhão pra apoiar a candidatura do Eduardo Cunha em 2014, Aliel Machado (PSB) foi acusado de propina da JBS na mesma campanha e Lídice da Mata (PSB) teve de responder pelo recebimento de R$ 200 mil da Odebrecht para sua campanha em 2010. São políticos da ordem capitalista, repletos de ligações com grandes empresários. Ciro também foi convidado, o mesmo que apoia as privatizações e é acusado por machismo. Assim como esses são nossos inimigos, também o são Edward Madureira, reitor da Universidade Federal de Goiás, responsável pelo corte de bolsas para 613 estudantes em 2020, o Reitor da IFRN, Rodrigo Bruno Zanin, da Unemat (Universidade Estadual do Mato Grosso), e ex-reitor da UFPEL (Universidade Federal de Pelotas), Pedro Hallal. Esse palanque para nossos inimigos só cumpre o papel de fortalecer aqueles que querem descarregar a crise nas nossas costas.

Assista abaixo a abertura do Congresso da UNE:

Na primeira oportunidade esses falsos aliados irão nos atacar e pior, estão legitimados pela entidade que deveria servir para organizar os estudantes. Com estes nossas pautas se rebaixam, passamos a aceitar nas nossas fileiras quem retira direitos e está de acordo com a agenda econômica do governo Bolsonaro, por mais que não concorde com sua figura. Se trata da mesma política do impeachment que propõe substituir Bolsonaro por Mourão, um general reacionário, nossa batalha deve ser pelo fora Bolsonaro e Mourão!

PSTU, PSOL e UP fizeram falas na abertura sem qualquer menção a forma anti-democrática do congresso, feito às pressas, preservando a composição de direção de 2 anos atrás, a inexistência de microfone aberto para estudantes e a presença de inimigos de classe nessa atividade. Se trata de uma enorme conivência das correntes de Oposição sobre o burocratismo da UJS, chamamos todos esses setores a romperem com essa adaptação, para realizarmos uma plenária unificada da oposição de esquerda, por um espaço realmente democrático nesse congresso que possa organizar nossa luta ao lado dos trabalhadores contra Bolsonaro e Mourão.

Seria papel da oposição batalhar conosco por uma carta desse congresso dirigida às centrais sindicais em que estudantes de todo o país se somassem em iniciativas em comum por uma greve geral contra Bolsonaro, Mourão e os ataques.

Leia Mais: Contra Bolsonaro e Mourão, estudantes precisam defender uma Constituinte Livre e Soberana

Conheça nossa Tese:

Conune 2021: conheça a tese "Transformar nosso ódio em revolução! Fora Bolsonaro e Mourão"




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias