Política

SÃO PAULO

Descaso de Doria deixa SP com 450 pessoas na fila para UTI

O descaso da prefeitura com o combate a pandemia, seja com as condições em que deixa os hospitais, seja com a volta as aulas, ou com o como usa a vacina para fazer marketing, colaboram com o estágio em que chegou a ocupação de leitos nos hospitais.

quarta-feira 3 de março| Edição do dia

Foto: (Sergio Andrade/Governo do Estado de SP)

A fila por um leito de UTI na cidade de São Paulo já atingiu as 450 pessoas. Aguardando que alguém se cure, ou então pior, morra, centenas de pacientes ficam sem o direito ao tratamento intensivo contra a Covid-19.

Esta é a situação que o Governador João Doria e o prefeito Bruno Covas deixaram que a cidade de São Paulo chegasse.

A informação, divulgada na coluna de Mônica Bergamo no jornal A Folha de S. Paulo, foi enviada pelo secretário municipal de saúde, Edson Aparecido.

A prefeitura tenta se esconder por trás dos 100 leitos que abriu nesta semana, completamente insuficientes para o estado em que deixaram a quantidade de casos chegar.

Assim, trabalhadores e trabalhadoras, que todos os dias ainda são obrigados a enfrentar aglomerações nos transportes públicos e em seus locais de trabalho, para pode se sustentar, não terão direito a um atendimento médico digno, e Doria e Covas deixam a população de São Paulo com o medo de morrer esperando por uma vaga em uma UTI para aqueles que necessitam de tratamento intensivo.

Enquanto isso, Doria anunciou que São Paulo entrará na fase vermelha novamente, mas mesmo assim, escolas seguirão funcionando, e da mesma forma os campeonatos de futebol devem seguir acontecendo. Uma escolha seletiva de quem ganha o direito a proteger suas vidas e quem não, em nome do lucro de um punhado que vive às custas do suor da maior parte da população.




Tópicos relacionados

Retorno presencial de aulas   /    Hospital Público   /    Saúde Pública   /    Crise do Coronavírus   /    Crise na Saúde   /    Pandemia   /    Coronavírus   /    Bruno Covas   /    João Doria   /    São Paulo   /    Saúde   /    Política

Comentários

Comentar