×

Gás de cozinha | Bolsonaro diz que botijão poderia custar R$60 a R$70, mas gás poderia ser muito mais barato

O presidente disse que o gás de cozinha "poderia ser vendido a R$ 60, R$ 70, no máximo". Mas em suas greves no início de 2020, os petroleiros chegaram a vender o botijão por R$ 30 a R$40, um valor muito mais abaixo da política de preços da Petrobras, demonstrando a possibilidade de aplicar valores justos, diferente do que ocorre atualmente, e que só classe trabalhadora pode resolver as demandas profundas do povo brasileiro.

terça-feira 27 de julho | Edição do dia

Imagem: FUP (Federação Única dos Petroleiros)

Bolsonaro citou o valor do frete, o ICMS dos Estados e a margem de lucro dos vendedores como causadores da alto preço do gás: "O preço médio de um botijão de 13 kg lá onde ele é engarrafado é R$ 45. Imposto federal: zero. Então chega a 100, 110 como Basicamente, é o ICMS, mais o preço do transporte a margem de lucro".

Veja mais: Pablito: "Enquanto Bolsonaro come picanha de 2mil nossa classe passa fome na fila do osso, basta!"

EDITORIAL MRT: Fila do osso é símbolo da barbárie capitalista: por um plano de luta já

O que o presidente não fala a Petrobrás tem mais de 40% de suas ações controladas acionistas de Wall Street e da Bovespa, o que faz que tudo que a empresa produz, inclusive o gás de cozinha, seja vendido de acordo com o preço imposto pelo mercado mundial.

Pode te interessar: Como o Tio Sam invadiu seu prato de comida e agora seu botijão de gás?

Bolsonaro disse que o botijão "poderia ser vendido a R$ 60, R$ 70, no máximo. Depende de o governador colaborar nesse sentido". Bolsonaro com isso tenta se isentar de também ser culpado pelo gás de cozinha caro e que afeta brutalmente a situação da classe trabalhadora e do povo pobre, mas a verdade é que tanto os governadores quanto o presidente, em conjunto com o presidente bolsonarista da Petrobras Joaquim Silva e Luna e os acionistas capitalistas são os grandes culpados pelos altíssimos preços do gás de cozinha.

Quem manda na Petrobras?

A proposta de preços do presidente continua mantendo os custos do gás bastante caros para os bolsos da classe trabalhadora brasileira, ao mesmo tempo em que garante os lucros dos capitalistas, enquanto avança nas medidas de privatização da Petrobras, que só pode significar o encarecimento ainda maior e um ataque mais brutal ainda às condições da classe trabalhadora brasileira.

Como o Esquerda Diário já demonstrou, o gás de cozinha pode ser vendido por um um valor muito mais barato do que o atual e do que é proposto pelo presidente, como vimos nas greves de petroleiros em 2020, demonstrando que somente a classe trabalhadora pode dar uma resposta para os problemas que sofre em meio à miséria capitalista e à catástrofe que tem sido a gestão da pandemia por Bolsonaro, Mourão e governadores.

Veja alguns exemplos da greve do início 2020:

Petroleiros em greve distribuem gás de cozinha e gasolina a preços reduzidos

Petroleiros em greve irão distribuir gás por 40 reais em Esteio/RS

Petroleiros do Rio vendem nesta manhã gás de cozinha a preços reduzidos na Zona Norte




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias