Sociedade

CORONAVÍRUS

Após quase 200 mil mortes, governo diz que apresentará hoje Plano de imunização

Jair Bolsonaro e Eduardo Pazuello apresentarão hoje “plano nacional de operacionalização de vacinação” contra o novo coronavírus. De acordo com o plano, a imunização da população deverá ocorrer em 16 meses. Mais um pronunciamento demagógico desse governo que durante todo o ano negligenciou a vida da população.

quarta-feira 16 de dezembro de 2020| Edição do dia

Reprodução/Reuters

A informação foi entregue a AGU (Advocacia-Geral da União) em resposta ao ministro Lewandowski que solicitou dados sobre o plano de imunização. O documento protocolado na AGU não tem datas precisas, de acordo com o governo os prazos só serão estabelecidos após a ANVISA aprovar o uso das vacinas no Brasil.

Bolsonaro, que se nega a comprar a vacina Coronavac da Sinovac chinesa, fechou acordo bilionário com as empresas privadas Pfizer e Biontech. Enquanto garante os lucros de empresas farmacêuticas, demagogicamente fala de um plano para imunização da população.

Veja mais: Bolsonaro quer isentar Estado da responsabilidade por efeitos da vacina, junto à Pfizer que irá lucrar bilhões

Diante de quase 200 mil mortes e com um número de mortes de mais de 900 nas últimas 24 horas, sabemos que assim como os testes que antes de serem disponibilizados perderam a validade o interesse do governo está longe de pensar a saúde e a vida da população principalmente dos trabalhadores e setores mais precários, o plano para imunização vem carregado de grande demagogia e disputa de poderes, como fica claro na disputa entre governo federal e estados com os planos de imunização.

Entenda melhor: Vacina e medidas sanitárias para todos, contra Doria, Bolsonaro e a sede de lucro capitalista

A pressão que se coloca para o governo, diante da produção e aprovação de vacinas pelo mundo exige saídas demagógicas, pois o mesmo governo que não testou a população massivamente, que não garantiu EPIs nem para os profissionais da saúde, que diante da sede de lucro flexibilizou a quarentena de forma irresponsável, agora propõe um plano de imunização sem data para começar e com uma perspectiva de prazo que depende da disponibilização de vacina para todos, diante da compra bilionária dessas vacinas, lembrando que o instituto Butantã está produzindo a Coronavac chinesa, entretanto as disputas de poderes e sede de lucro dos capitalistas colocam mais e mais dificuldades para que a vacina chega logo e massivamente.

É preciso exigir que em todo o país a garantia da vacina seja universal e gratuita, de forma rápida e massiva. Sem segredos e patentes que colocam uma disputa entre as grandes empresas farmacêuticas, enquanto a população segue morrendo. Pela liberdade de pesquisa para todos os meios imunizantes contra a COVID. Tudo isso sob gestão dos trabalhadores da saúde e não de empresários que desde sempre e ainda mais com a pandemia mostram que para eles nossas vidas não valem nada.




Tópicos relacionados

Vacina   /    Eduardo Pazuello   /    COVID-19   /    Coronavírus   /    Governo Bolsonaro   /    Sociedade

Comentários

Comentar