Política

SBT e RECORD aliadas de Bolsonaro cancelam debate favorecendo Russomano em SP

SBT e RECORD, duras apoiadoras do governo Bolsonaro, cancelam debates entre os candidatos à prefeitura de São Paulo evitando o desgaste de Russomano, candidato apoiado por Bolsonaro na cidade.

quinta-feira 8 de outubro| Edição do dia

Foto montagem: a partir das originais de Ettore Chiereguini /AGIF e Evaristo Sa /AFP via getty images

Russomano tem sido orientado por sua equipe a evitar debates públicos. Seguindo a linha de Bolsonaro na campanha a presidência em 2018 quando se negou a participar de debates e se apoiou nos robôs de disparos de fake news, o candidato a prefeito de São Paulo, favorito por enquanto nas intenções de voto na cidade, já anunciou que não participará de mais nenhum debate das emissoras.

O cancelamento dos debates beneficia o líder nas pesquisas já que o pouparia de ter que explicar suas propostas pobres e inconsistentes como a questão do auxílio emergencial paulistano como noticiou a Folha, que soa mais como uma promessa vazia de campanha, e evitaria ter também que explicar questões como o machismo e o perfil de assediador de trabalhadoras que promove em suas blitz da patrulha do consumidor, programa que apresenta na tv RECORD.

Pode interessar: Amigo do bilionário Edir Macedo, da Universal, Record e dos patrões, Russomano lidera pesquisas pra prefeitura de SP

Contando com o segundo maior tempo de TV, atrás somente de Bruno Covas, o candidato tem as regras eleitorais a seu favor o que garante a ele vantagem de divulgação e alcance em relação a seus adversários.

A RECORD de Edir Macedo da Universal e o SBT de Silvio Santos, demagogicamente têm argumentado que as regras eleitorais, combinadas com a grande quantidade de candidatos, causaria aglomeração nos estúdios o que colocaria a saúde de muitas pessoas em risco, sendo isso declarado como o motivador dos cancelamentos.

Mas é claro pelo histórico de proximidade e parceria entre as emissoras que o que se trata aqui é de uma troca de favores. Bolsonaro colocou o genro de Silvio Santos,Fábio Faria como ministro das comunicações e a Rede RECORD, que faz campanha a Bolsonaro desde as eleições de 2018, cuja Igreja Universal de Edir Macedo tem forte influência no Republicanos, partido de Russomano e base de apoio do governo federal.

Pode interessar: Bolsonaristas cantam “Record”, reivindicando emissora de Edir Macedo apoiadora de Bolsonaro




Tópicos relacionados

Record   /    SBT   /    Eleições municipais 2020   /    Bancada Evangélica   /    Eleições 2020   /    Igrejas Evangélicas   /    Governo Bolsonaro   /    Assédio   /    Extrema-direita   /    Igreja Universal   /    Silvio Santos   /    Jair Bolsonaro   /    Russomanno   /    Machismo   /    Eleições São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar