×

Escolas de Natal | Desembargador proíbe greve de professores em Natal a favor do retorno inseguro de Álvaro Dias (PSDB)

Na sexta-feira, o desembargador Amaury de Souza Moura Sobrinho determinou que os professores da rede pública de Natal estão proibidos de entrar em greve, sob pena de multa diária de R$ 10 mil imposta ao sindicato estadual da categoria. Uma medida preventiva que ataca o direito elementar de greve, que sequer foi deliberada pelos professores, ainda mais em um momento que Álvaro Dias (PSDB) impõe um retorno inseguro.

quarta-feira 21 de julho | Edição do dia

Os professores defendem o retorno das aulas presenciais com segurança para a comunidade escolar após a imunização completa dos profissionais da educação contra a Covid-19. Mesmo assim, a prefeitura determinou o começo das aulas essa semana, mesmo com diversas escolas sendo denunciadas de não estarem condições para receber os alunos.

Segundo o SINTE-RN (Sindicato dos Trabalhadores da Educação), apenas 15 das 74 CMEIs de Natal tem condições para o retorno. Falta fardamento e planejamento da merenda dos alunos, além das condições estruturais de prédios e salas de aula que estão adequados para as crianças. Nesse sentido, vem exigindo a segunda dose da vacinação da categoria, além do reajuste do piso defasado em 12,8% por parte da prefeitura. Em assembleia com 500 professores na última sexta-feira, 91% dos votos foi contrário ao retorno das aulas presenciais.

As aulas voltam em Natal nessa semana, a mesma que o reacionário Ministro da Educação de Bolsonaro, Milton Ribeiro, disse que decretaria o retorno imediato em todo o país, rejeitando a vacinação obrigatória. Por isso repudiamos essa medida complemente anti-democrática do desembargador, que viola o direito dos professores de se organizarem, a serviço da política de descaso com a educação, a vida da comunidade escolar por parte do prefeito Álvaro Dias (PSDB), aliado ao MEC e ao governo genocida de Bolsonaro e Mourão. Rui Costa (PT) na Bahia impôs o mesmo retorno ameaçando corte de salário dos professores, seguindo o exemplo dos direitistas João Dória (PSDB), do mesmo partido de Álvaro Dias, e agora Fátima Bezerra (PT) decreta retorno para o dia 26 de Julho.

Por isso nós do Esquerda Diário defendemos a vacinação de toda a comunidade escolar nas duas doses e a necessidade de comissões de higiene e saúde que organizem a comunidade escolar para que ela defina sobre quando e sob condições deve se dar o retorno nas escolas, e não a Justiça ou os governos de políticos ligados aos interesses empresariais.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias