Gênero e sexualidade

#ABORTOLEGAL2020

O Senado da Argentina debate a legalização do aborto: expectativas em um dia decisivo

terça-feira 29 de dezembro de 2020| Edição do dia

A luta pela legalização do aborto tem uma longa história na Argentina. No entanto, nem os projetos apresentados isoladamente por alguns deputados na década de 1990, nem o projeto da Campanha Nacional pelo Direito ao Aborto, apresentado sistematicamente por quase uma década, foram discutidos no Congresso até 2018.

Na ocasião, embora tenha obtido meia aprovação na Câmara dos Deputados, foi rejeitada no Senado durante a prolongada sessão de 8 de agosto, enquanto uma forte mobilização se concentrava nas ruas para exigir seus direitos. Em frente ao Congresso, enfrentavam, sob forte vendaval e chuva, os conservadores defensores do aborto clandestino, os "celestes".

Nesta ocasião, o governo de Alberto Fernández optou por apresentar um projeto próprio que obteve mais apoio porque concede a incorporação da objeção de consciência de uma forma tal que permitirá uma instituição de saúde inteira, localidade ou província se recusar a garantir o direito.

Hoje, esse projeto busca ser validado no Senado, onde a força governista - paradoxalmente - será o bloco com mais votos contrários. No entanto, as negociações intensas nos últimos dias e as ausências perigosas de dois senadores "azuis" da Frente de Todos - José Alperovich e Carlos Menem - podem inclinar a balança para o Sim.

Enquanto isso, nas ruas, espera-se com grande expectativa a aprovação de um direito que há muito tempo é reivindicado pela mobilização de um movimento de mulheres que, persistentemente, não desiste de tentar convertê-lo em lei.

A partir das 16h, quando começará a sessão do Senado, espera-se uma concentração nas ruas da maré verde, que se tornou um exemplo de luta para o mundo. Dividida pelas cercas que cruzam a Praça do Congresso, espera-se também um chamado "celestes" contra o direito ao aborto, que, como em outras épocas, se estima ser bastante minoria em relação aos que defendem o direito à interrupção gravidez voluntária.

Acompanhe todas as informações desse dia no La Izquierda Diario e, às 20h, conecte ao programa ao vivo através do nosso canal no Youtube.




Tópicos relacionados

#AbortoLegal2020   /    Legalização do Aborto   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar