×
Rede Internacional

Em decisão Absurda, a de caso que ainda não está totalmente encerrado, a justiça racista de SP condenou PMs responsáveis pelas mortes de 9 jovens, em sua maioria negros, por homicídio culposo (quando não há intenção de matar), numa demonstração de racismo institucional e impunidade aos assassinos a poucos meses da chacina do Jacarezinho que ceifou 25 vidas no Rio de Janeiro.

sexta-feira 25 de junho | Edição do dia

Imagem: Arquivo pessoal/reprodução

O ocorrido aconteceu em 2019 em um baile funk em Paraisópolis, em uma ação policial que envolveu mais de 31 PMs que foram afastados durante as investigações, mas de todos os envolvidos, apenas 9 foram indiciados e o restante ainda está sendo investigado.

leia também: MASSACRE DO JACAREZINHO: laudos da perícia apontam baleados pelas costas e à queima roupa ePara esconder assassinos, Policia Civil põe em sigilo nome dos envolvidos no Jacarezinho

Segundo o delegado do caso, Manuel Fernando Soares, do departamento de homicídios e proteção a pessoa (DPHPP), até então está concluído que os policiais não tiveram intenção de matar os 9 jovens. O delegado afirma que no momento da ação a aproximação da viatura teria causado correria nos moradores e comportamento hostil.
O que vale lembrar é que os jovens, não possuíam nada além das roupas do corpo e um deles era uma criança de 14 anos.

A decisão é um total absurdo e escancara o racismo de estado e mostra o quão disposto o estado está em dar carta branca para que policiais assassinem nossos jovens e fiquem impunes, ou, quando muito, recebam penas leves. O governo Bolsonaro aumenta ainda mais a liberdade que a polícia tem de exterminar o povo pobre e preto, além da população trabalhadora, e nos mostra que essa instituição assassina precisa acabar.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias