Gênero e sexualidade

VIOLÊNCIA MACHISTA

Funcionária denuncia machismo de presidente da CBF que a abusava e a chamava de “cadela”

Rogério Caboclo, presidente da CBF, foi denunciado publicamente nesta sexta-feira (4) de assédio sexual e moral contra uma funcionária. Os relatos são de inúmeros casos de abuso machista por parte do presidente, que acontecem há mais de 1 ano.

sexta-feira 4 de junho| Edição do dia

Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

O caso veio a público nesta sexta-feira (4), quando a funcionária decidiu formalizar sua denúncia na na Comissão de Ética da CBF e a Diretoria de Governança e Conformidade. Antes disso, há pelo menos um mês e meio, ela já havia relatado a superiores e colegas da CBF o que vinha acontecendo.

Segundo seus relatos, Rogério Caboclo chegou a tentar forçá-la comer um biscoito de cachorro enquanto a chamava de "cadela". Além de inúmeros constrangimentos que o presidente da CBF a fez passar e que ela detalhou em sua denúncia, inclusive quando ele questionou a ela "você se masturba?".

Veja também: Basta de feminicídios e violência machista! Bolsonaro, Mourão e os golpistas são responsáveis!

É um show nojento de machismo. A funcionária relatou também que Rogério expôs sua vida pessoal e espalhou mentiras sobre ela para os demais funcionários da entidade. Ao globo esporte, ela disse: "Tenho passado por um momento muito difícil nos últimos dias. Inclusive com tratamento médico. De fato, hoje apresentei uma denúncia ao Comitê de Ética do Futebol Brasileiro e à Diretoria de Governança e Conformidade, para que medidas administrativas sejam tomadas."

Ainda nessa semana, uma jovem foi assassinada em Niterói no RJ, Vitória, vítima de feminicídio. Sob o governo dos reacionários e machistas Bolsonaro e Mourão, esse tipo de violência machista é escandalosamente incentivada contra as mulheres e todos os grupos oprimidos da sociedade.




Tópicos relacionados

CBF   /    Machismo no Esporte   /    Bolsonaro   /    Gênero e Sexualidade   /    Mulheres   /    Machismo   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar