Gênero e sexualidade

FEMINICÍDIO

Justiça por Vitória! Jovem é assassinada a facadas em shopping em Niterói no RJ

Vitória Melissa Motta, de 22 anos, foi assassinada a facadas dentro do Plaza Shopping em Niterói, no Rio de Janeiro. Vitória sofreu o ataque de um amigo do curso técnico em enfermagem, que segundo amigos nutria um “amor platônico” por ela. Vitória é mais uma vítima do feminicídio que aumenta a níveis alarmantes na pandemia.

quinta-feira 3 de junho| Edição do dia

Foto: Reprodução

A jovem de 22 anos foi atacada a facadas enquanto estava sentada dentro do shopping Plaza em Niterói, Rio de Janeiro. Segundo as investigações, Matheus dos Santos da Silva, comprou uma faca dentro do shopping, foi até a vítima e desferiu vários golpes a facadas em Vitória.

Os dois eram colegas de classe em um curso de enfermagem e segundo amigos Matheus tinha um “amor não correspondido” por Vitória. A jovem foi socorrida mas já chegou ao hospital sem vida. Matheus foi preso e vai responder por feminicídio.

Esse caso escandaloso é mais um dos que se somam ao aumento de feminicídios que vem escalando durante a pandemia. Só no Rio de Janeiro, há um aumento de 127% de casos de feminicídios, e no mesmo dia em que Vitória foi esfaqueada, uma tenente também foi esfaqueada num quartel da marinha por um dos cabos.

Além disso, no último domingo, uma mulher foi morta pelo companheiro em Três Rios, também Rio de Janeiro, depois de levar 61 facadas em casa. Casos que mostram o aumento da violência no Rio de Janeiro com o governo Castro, amigo de Bolsonaro e dos militares.

Viemos denunciando já o aumento escandaloso da violência policial, contando com a maior chacina do Rio de Janeiro no último mês. Mas com um governo mais reacionário e alinhado ao governo federal da extrema direita, que odeia os negros, mulheres e LGBTs, casos como esses se fortalecem na sociedade e aumenta a violência de gênero e racial.

Bolsonaro, Mourão, o regime golpista e Castro são responsáveis por cada uma das mortes de feminicídio, violência racial e lgbtfóbica. Só é possível enfrentar essa ofensiva contra os setores oprimidos com a luta dos trabalhadores, do movimento negro, de mulheres e lgbts unificadas, enfrentando Bolsonaro, os golpistas e todos os que ameaçam a vida das mulheres.

Com essa luta é possível levantar um programa emergencial de combate a violência contra mulheres e lgbts, que seja implementado pelo Estado, com assistência econômica, casas abrigos, plano de moradia, licença do trabalho a todas as vítimas, a luta pela igualdade salarial, pela efetivação dos terceirizados sem concurso, já que a maioria desses são mulheres e negros com péssimas condições de trabalho, a luta pela legalização do aborto e educação sexual nas escolas.

Uma manifestação conta o caso de feminicídio e por Justiça a Vitória já está sendo convocada pelo movimento de mulheres para repudiar o assassinato e o aumento da violência machista. O ato acontecerá no dia 07 de junho, às 18h30, em frente ao Shopping Plaza Niterói.

O grupo de mulheres Pão e Rosas, que hoje na Argentina parou avenidas contra os feminicídios, se solidariza com a família e amigos de Vitória e firmamos nosso compromisso de seguir a luta contra a violência machista, a desigualdade de gênero e o capitalismo. Vitória Presente!




Tópicos relacionados

Mulheres   /    Feminicídio   /    Machismo   /    Rio de Janeiro   /    Violência contra a Mulher   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar