Juventude

UFRN

Estudantes de Ciências Sociais da UFRN convocam para assembleia do CCHLA rumo ao 29M

Nesta quarta-feira, às 18:30hrs vai acontecer uma assembleia dos estudantes dos cursos que fazem parte do CCHLA (Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes) da UFRN, rumo ao dia 29 (próximo sábado), que vai ser um dia nacional de luta contra os cortes na educação realizados pelo Senado e o Congresso, com o aval do negacionista Bolsonaro. No dia seguinte, quinta-feira às 19:00hrs, será realizada reunião entre os estudantes de Ciências Sociais Bacharelado e Licenciatura, convocamos todes!

Érika Thuanny

Estudante de Ciências Sociais da UFRN

quarta-feira 26 de maio| Edição do dia

Com o orçamento de custeio menor que o valor de quatro anos atrás, a reitoria da UFRN informou que há possibilidades de suspensão do funcionamento da universidade justamente devido a esses cortes, que se comparado à 2010, apresenta 37% da redução do orçamento destinado às universidades federais. Em 2019, centenas de pesquisadores já foram atingidos com o corte de suas bolsas, as que restaram estão na mira, assim como os trabalhadores terceirizados, que mantiveram a existência física da universidade durante toda a pandemia e agora são recompensados com a ameaça concreta de perda de emprego.

O DCE, que faz parte da Oposição de Esquerda da UNE, decidiu por não chamar uma assembleia geral, um espaço fundamental para construir um forte dia de luta nacional da educação neste 29 de maio, recolocando em cena os estudantes e tornando-os mais conscientes do tamanho de sua força e indignação. Também é preciso exigir da direção majoritária da UNE, dirigida pela UJS, juventude do PCdoB, juventude do PT e Levante Popular da Juventude que se construam estes espaços de auto-organização e luta, já que tem convocado lives com direito a fala para as Reitorias, mas sem voz e voto para os estudantes.

Na mesma semana em que construímos estas assembleias e nos preparamos para tomar as ruas no sábado, o Congresso busca aprovar a Reforma Administrativa, para atacar ainda mais a saúde e a educação, e o STF quer aprovar demissões sem acordo coletivo. É essa a cara dos atores do Golpe Institucional de 2016, nos quais não podemos confiar, e sim apenas nas nossas forças unificades com a classe trabalhadora.

5 motivos para unificar estudantes e trabalhadores nas ruas no dia 29 de maio contra Bolsonaro

A proposta, feita por militantes da Faísca, surgiu em discussão no grupo de ingressantes dos estudantes de Ciências Sociais da UFRN, em conjunto com os veteranos, que defendem a necessidade de se construir uma assembleia com direito a voz e voto, podendo assim decidir de forma democrática sua própria luta. Atualmente, não existe gestão no Centro Acadêmico de Ciências Sociais, mas a construção de espaços de debate deliberativos é fundamental no processo da reconstrução desta entidade de luta tão vital, para o qual acontecerá uma assembleia eleitoral após a semana de integração no começo do próximo semestre.

Partilhamos com todxs o ódio a Bolsonaro e queremos combater todos os nossos inimigos, não nos calamos e gritamos: FORA BOLSONARO, MOURÃO E MILITARES! São os capitalistas que devem pagar pela crise, e não a educação!

TODXS NA ASSEMBLEIA DO CCHLA-UFRN, VIA GOOGLE MEETS AMANHÃ AS 18H30, PARA CONSTRUIR O DIA 29 DE MAIO!

EDITORIAL - Novos ares de mobilização e a adaptação à agenda da CPI: confiar nas forças da nossa classe e da juventude




Tópicos relacionados

Corte de orçamento   /    Estudantes   /    UFRN   /    Juventude    /    Permanência Estudantil   /    Natal   /    Rio Grande do Norte   /    Educação   /    Universidades Federais   /    Movimento Estudantil

Comentários

Comentar