Sociedade

MASSACRE NO JACAREZINHO

Chacina Jacarezinho: Apenas 26 armas de agentes apreendidas em operação com 200 policiais

O maior massacre da história do Rio de Janeiro contou com a atuação de 200 policiais, mas até agora apenas 26 armas de agentes foram apreendidas pela investigação e encaminhadas para perícia.

segunda-feira 10 de maio| Edição do dia

Imagem: José Lucena/Thenews2/Folhapress

O levantamento de armas apreendidas foi feito pelo GLOBO, com base nos registros de ocorrência relacionados aos assassinatos "por intervenção de agentes do Estado", encaminhados à Delegacia de Homicídios da Capital.

- "Ouvi policiais dizerem que 20 mães chorando era pouco": mãe de jovem morto no Jacarezinho

A Polícia Civil não notificou oficialmente a quantidade de armas apreendidas, apenas afirmou em nota que "todas as armas dos policiais foram apreendidas para a realização da perícia”. Contudo, a conta não fecha, já que haviam 200 policiais atuando no massacre de Jacarezinho, na última quinta-feira (6), e apenas 26 armas apreendidas constam nos registros.

- Bolsonaro racista elogia chacina no Jacarezinho e acusa vítimas de roubar e matar

Além da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro e Bolsonaro também são responsáveis pela chacina no Jacarezinho. Por isso, a investigação desse caso não pode ser feita exclusivamente pelo Estado que outrora permitiu o massacre acontecer. Como afirmou Carolina Cacau, do Quilombo Vermelho e do Esquerda Diário, é preciso uma investigação independente controlada pelos moradores, movimentos sociais e sindicatos.




Tópicos relacionados

Chacina do Jacarezinho   /    Cláudio Castro   /    Brutalidade policial   /    Repressão policial   /    Racismo Policial   /    Governo Bolsonaro   /    Racismo   /    Rio de Janeiro   /    Sociedade   /    Racismo   /    Violência policial

Comentários

Comentar