Sociedade

EDUCAÇÃO

Eduardo Leite quer impor retorno às aulas e responsabilizar pais de alunos pelos riscos

As direções das escolas estão sendo orientadas a enviar um termo de responsabilidade para os pais dos alunos para encaminhar o retorno às aulas. O objetivo de Leite é, por um lado, validar o ano letivo a qualquer preço jogando a sua responsabilidade do ensino remoto e dos riscos sanitários sobre os pais e professores.

terça-feira 29 de setembro| Edição do dia

Foto Sul21

O termo, em seu texto, traz como justificativa a necessidade das escolas se organizarem com a quantidade de alunos, mas o que está de fundo é um Estado que não se responsabiliza pelas condições, tanto do ensino remoto, quanto do risco de infecção pelo novo coronavírus, pois o retorno se dará sem testagens massivas e em meio a altos índices de contaminação no estado.

O contraditório é que sequer para os debates entre os candidatos, à prefeitura de Porto Alegre por exemplo, se permite o encontro presencial em local fechado. Levando a RBS a realizar um programa com cada candidato dentro de um carro. Os ricos e políticos estão bem protegidos enquanto querem jogar os trabalhadores e seus filhos para a exposição na pandemia, tudo para manter seus lucros, que na visão deles valem mais do que nossas vidas.

Segundo a determinação autoritária de Leite as aulas retornarão dia 13/10 para o Ensino Médio, dia 28/10 para os Anos Finais do Fundamental e dia 12/11 para os Anos Iniciais. O CPERS sindicato está chamando assembleia da categoria no dia 8/10, momento em que os trabalhadores da educação devem debater sobre o retorno.

Assembleias por escola com membros das comunidades e os Conselhos Escolares eleitos estão ocorrendo em algumas escolas, o que poderia estar sendo impulsionado pelo sindicato também, pois nesse momento é muito importante fazer valer a democracia de base. Os Conselhos Escolares e as direções eleitas tem poder deliberativo nas escolas e devem ser esses organismos a decidir sobre como e quando retornar a aulas, bem como sobre os rumos da educação e do ano letivo.




Tópicos relacionados

pandemia   /    Coronavírus   /    Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    Sociedade   /    Educação   /    Política

Comentários

Comentar