Economia

ECONOMIA

Brasileiros recorrem a empréstimos para poder comprar comida

De acordo com pesquisa, brasileiros estão contraindo dívidas para comprar alimentos e realizar pagamentos essenciais

terça-feira 15 de dezembro de 2020| Edição do dia

Foto: Getty Images

De acordo com pesquisa realizada pela Serasa em parceria com a consultoria Blend New Research, a população brasileira passa por um agravamento das dificuldades econômicas.

Em novembro, constatou-se que 11% do endividamento realizado pelos brasileiros era destinado á compra de alimentos ou pagamentos considerados essenciais, como contas de luz, água e aluguel. Em 2019, o índice era de 5%. 

Em um cenário de crise econômica e social, em meio a pandemia, o já insuficiente Auxílio Emergencial foi reduzido pela metade, sendo dezembro o último mês dos recebimentos, o que pode agravar ainda mais o quadro.

O estudo também destacou que 58% das dívidas que ocorreram durante 2020 são advindas de transações realizadas com o cartão de crédito. Destaca-se que as maiores taxas de juros por atraso são cobradas justamente pelo uso do crédito.

O emprego para toda a população seria o mínimo a ser garantido aos trabalhadores em momentos de crise, assim como a proibição das demissões. Porém, a unidade entre empresários e governos para aprovar inúmeros ataques econômicos aos trabalhadores, passando reformas e MPs, garantem as piores condições de trabalho para o funcionário, que realiza duplas ou triplas funções recebendo péssimos salários, e garantem enormes lucros aos patrões.

Diante do descarregamento da crise nas costas dos trabalhadores, somente a unidade de todos os explorados e oprimidos por esse sistema que visa o lucro em vez da vida, e sem nenhuma confiança que a conciliação com os setores que nos atacam é a saída, será possível avançar para que os capitalistas que criaram a crise sejam os que paguem por ela.




Tópicos relacionados

Inflação nos alimentos   /    Crise   /    Crise capitalista   /    Fome   /    Desemprego   /    crise econômica   /    Economia

Comentários

Comentar