Sociedade

#JUSTIÇAPORMARCELO

Assassinado a tiros, morte de Marcelo causa revolta na Cidade de Deus: PM é acusada

Marcelo Guimarães passava de moto por baixo de um viaduto da Linha Amarela quando foi morto a tiros. A população afirma ter visto os disparos serem efetuados por policiais e fechou a via em protesto.

segunda-feira 4 de janeiro| Edição do dia

Após deixar o filho na creche, Marcelo Guimarães, 38, foi mais uma vítima da violência brutal da polícia enquanto ia para seu trabalho. Os moradores afirmam que a versão policial, de que Marcelo teria atravessado uma “troca de tiros” entre polícia e traficantes, é falsa. Nas redes sociais, sua filha Vitória Guimarães desmente a versão difundida pela polícia, dizendo “Troca de tiros que teve apenas um tiro disparado pela polícia, e que parou no peito do Marcelo, pai de três filhos, e trabalhador! DESGRAÇADOS.”

A viúva de Marcelo declarou: "Foram os policiais que tiraram a vida do meu marido, isso sim, porque não teve confronto na Cidade de Deus, não teve. Eu trabalho há cinco minutos dali, eu estava no trabalho quando recebi a notícia que tiraram a vida do meu marido. Foram os policiais do Caveirão que tiraram a vida do meu marido, tem vídeo e tudo. Infelizmente eu cheguei lá e meu marido já estava no chão deitado. Nós tínhamos 21 anos juntos, meu marido sempre foi trabalhador, ele nunca gostou de fumar nem muito menos de beber. Ele sempre foi um homem tranquilo, trabalhador, honesto. Se puxar a ficha dele não tem nem o nome na delegacia, de nada. Ele tinha 38 anos, ele era pai de família, esposo. Então, eu só quero justiça, só isso que eu quero: justiça. Não sei como é que vai ficar meus filhos, de 19 e 5 anos, não sei como é que vou falar com meu filho. Falar que o paizinho dele foi pra muito longe, viajar, nunca mais vai voltar. Papai deixou a gente. Que que eu vou fazer agora?"

A população, absolutamente revoltada com mais essa morte absurda pelas balas dessa instituição racista e assassina, tomou a linha amarela e fechou a via em protesto:

Nos somamos a esse grito e dizemos #JustiçaPorMarcelo!




Tópicos relacionados

Brutalidade policial   /    Repressão policial   /    Racismo Policial   /    Racismo   /    Sociedade   /    Racismo   /    Violência policial

Comentários

Comentar