ABC Paulista: Trabalhadores protestam contra fechamento da Nakata em Diadema

225 empregos em Diadema estão ameaçados pelo fechamento da Nakata, fábrica de autopeças que será transferida para Extrema (MG). Com produção e lucratividade em alta, a Nakata se recusou a negociar com os trabalhadores, que decidiram pela mobilização em defesa dos empregos.

quarta-feira 3 de fevereiro| Edição do dia

Foto: Reprodução/Facebook SMABC

A região do ABC paulista vai perder mais uma fábrica de autopeças. Depois do fechamento da Arteb em São Bernardo, agora a Nakata anuncia transferência de Diadema para o município de Extrema, em Minas Gerais.

A transferência acontecerá até o final de março, mas há quatro anos a Nakata já se organizava para sair da cidade, sem nenhum aviso ou tentativa de negociação prévia com os trabalhadores.

Nesta segunda-feira (02) a empresa anunciou sua decisão aos trabalhadores, e eles se organizaram em uma assembleia na terça-feira (03) pela manhã para paralisar a fábrica e organizar uma mobilização em defesa dos empregos.

Além da indignação frente à possibilidade de perder o emprego, os trabalhadores se sentem traídos, enganados pela empresa. Pois a Nakata Automotiva está em Diadema a 65 anos, e se trata de uma empresa com boas condiçṍes financeiras que sempre comemorou a alta produção e lucratividade da unidade.

Mesmo assim, a empresa Nakata ameaça ao desemprego e à fome as mais de duas centenas de trabalhadores que trabalharam para sua riqueza nos últimos anos, e que poderão ser parte do enorme contingente de desempregados no país, em meio a uma pandemia e com a alta inflação dos alimentos básicos promovidos pelo governo Bolsonaro e Mourão, apoiados no centrão do Congresso e nos golpistas do Judiciário.

Toda solidariedade e apoio à luta dos trabalhadores da Nakata. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC precisa organizar essa luta para além de negociações parciais com a empresa, unificando-a com os outros trabalhadores do mesmo ramo e também com todos aqueles que enfrentam a ameaça de desemprego, em um plano de lutas que não desgaste os trabalhadores, mas que faça avançar suas demandas.

Sobre a empresa

A Nakata conta com filiais em Diadema e em Oasco, além de centros de distribuição em San­­­to André e Extrema. Em setembro de 2020, a multinacional brasileira Fras-le, fabricante de pastilhas e lonas de freios e integrante da divisão de autopeças das Empresas Randon, concluiu a compra de 100% do controle da Nakata em um negócio de R$ 457 milhões.

A Nakata produz amortecedores, terminais e barras de ligação e direção, pivôs e bandejas de suspensão, juntas homocinéticas, componentes de eixos cardan e diferencial. Há 15 anos deixou de fornecer às montadoras de veículos e atua exclusivamente no mercado nacional de reposição de autopeças.

Pode te interessar: Sobre a Ford e questões da economia nacional




Tópicos relacionados

Trabalhadores   /    Demissões

Comentários

Comentar