Internacional

CHILE

Trabalhadores revolucionários no Chile: quase 50.000 votos nas eleições constituintes de norte a sul

Com quase 99% dos votos apurados, os 52 candidatos da Lista dos Trabalhadores Revolucionários somam 48.936 votos.

segunda-feira 17 de maio| Edição do dia

Além disso, o dirigente sindical da fábrica de explosivos Orica e candidato a governador, Lester Calderón, obteve 17.796 votos em Antofagasta, equivalente a 12,65%. Um grande reconhecimento dos setores operários combativos, mineiros, professores, portuários, jovens e sindicalistas que foram parte, junto ao PTR, da constituição do Comitê de Emergência e Resguardo, importante organismo de coordenação das lutas durante a rebelião chilena de 2019.

O Partido de Trabajadores Revolucionarios (PTR), organização irmã do MRT brasileiro no Chile, promove a Rede Internacional La Izquierda Diario e faz parte da Fração Trotskista - Quarta Internacional.

Outros resultados significativos foram os obtidos por nossa lista no distrito 23 (Temuco, Tolten, Villarrica, Freire, etc.), com 3.580 votos, no distrito 12 (Puente Alto, La Florida, La Pintana, Pirque, San José de Maipo) com 4.911 votos, no distrito 8 (Cerrillos, Colina, Estación Central, Lampa, Maipú, Pudahuel, Quilicura e Tiltil com 5.853 votos, no distrito 9 (Cerro Navia, Conchalí, Huechuraba, Independencia, Lo Prado, Quinta Normal, Recoleta, Renca) com 6.465 votos e no distrito 13 (El Bosque, La Cisterna, Lo Espejo, Pedro Aguirre Cerda, San Miguel, San Ramón) com 6.349 votos.

Ainda que nenhum dos candidatos tenha sido eleito para a Convenção, a votação é um sinal de que as idéias defendidas pela lista têm um apoio considerável.

Lester Calderón explicou que “Desde o PTR participamos nestas eleições com um grande esforço militante, sem o dinheiro doado pelos grandes empresários aos seus partidos. Temos o orgulho de ter alcançado centenas de milhares de trabalhadores com nosso programa, de ter organizado centenas de colegas que colaboraram conosco em fábricas, escolas e cidades, para defender neste campo a única perspectiva realista para acabar com o regime de 30 anos: retomar a luta de 2019 para acabar com este regime que levou milhões de trabalhadores aos piores sofrimentos”.

Mais de 50 líderes sindicais e mais de 20 sindicatos expressaram seu apoio à candidatura operária de Lester, juntamente com organizações sociais como a Federação Nacional Popular-Calama, a #MovimientoAmbientalCalama, entre outras. Além disso, a mobilização militante de nossa organização, junto com centenas de colaboradores e amigos, que se identificaram com nossas propostas e militaram nas ruas para chegar o mais amplamente possível a todas as comunas da região, foi totalmente fundamental.

Joseffe Cáceres, auxiliar de limpeza e porta-voz da Pan y Rosas candidata a convencional para D12, agradeceu “o apoio de centenas de trabalhadoras e trabalhadoras, dirigentes sindicais e de bairro, familiares, amigos, vizinhos, colegas, que apoiaram o ideias das nossas candidaturas: participamos nestas eleições para defender as bandeiras da rebelião de Outubro, a necessidade de retirar este governo com a greve geral e afirmar claramente que a Convenção Constitucional foi acertada na "cozinha" do Acordo pela Paz a Nova Constituição. Quero agradecer o apoio que teve esta candidatura e dos meus colegas, desde mulheres na linha da frente contra a pandemia, trabalhadores da saúde, trabalhadores da educação, trabalhadores da indústria, professores e jovens que promoveram a campanha #NãoSomosRobô para denunciar o trabalho e a superexploração . Continuaremos a lutar pelo fim das AFPs, contra a mercantilização da educação e saúde, pela nacionalização do cobre, a água e o lítio sob a gestão dos trabalhadores e das comunidades. Essas lutas estão mais vivas do que nunca ”.




Comentários

Comentar