Política

ELEIÇÕES 2020 RJ

Rogéria Bolsonaro tem investigada em "rachadinha" como tesoureira de sua campanha

Ex-mulher de Bolsonaro e mãe dos três primeiros filhos do presidente, contrata ex-funcionária do gabinete de Flávio Bolsonaro, investigada no Caso Queiroz, para ser coordenadora financeira - função parecida com tesoureira - e contadora de sua campanha eleitoral

sábado 17 de outubro| Edição do dia

Reprodução/Instagram

Depois de quase 20 anos longe da política, a Rogéria Bolsonaro (Republicanos) tentará a eleição para vereadora no Rio de Janeiro. Para isso escolheu uma ex-funcionária de seu filho para trabalhar em duas funções importantes de sua campanha.

Alessandra Cristina Ferreira de Oliveira trabalhou no gabinete da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio) do filho 01, e teve recentemente os sigilos fiscal e bancário quebrados pela Justiça.

Em setembro, quebras de sigilo obtidas com pelo UOL indicam que Alessandra e Valdenice Meliga — colega de Alessandra no gabinete — repassaram parte de seus salários na Alerj para o advogado Gustavo Botto, homem de confiança de Flávio no Rio.

Ao todo, contas bancárias de Alessandra repassaram R$ 20,8 mil para Botto entre junho e dezembro de 2018, período em que o trio também atuou nas campanhas de Flávio e de dezenas de outros candidatos do PSL no Rio. As transferências eram feitas sempre poucos dias depois do recebimento de salários e do auxílio-alimentação, transferências à la Queiroz.

A ex-funcionária investigada terá dentre suas funções a de entregar à Justiça Eleitoral as prestações de contas da campanha, assim como será responsável pelos contratos firmados.




Tópicos relacionados

Eleições 2020   /    Fabrício Queiroz   /    Flavio Bolsonaro   /    Alerj   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar