DEMISSÕES

Marchezan demite mais de 500 trabalhadores da saúde em Porto Alegre

A prefeitura de Porto Alegre, gerida por Nelson Marchezan (PSDB), anunciou a demissão demais de 500 trabalhadores da saúde em plena pandemia.

terça-feira 8 de dezembro de 2020| Edição do dia

Foto: Divulgação/PSDB.

A prefeitura de Porto Alegre, gerida por Nelson Marchezan (PSDB), anunciou a demissão de trabalhadores do Imesf, Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família.

Desde o ano passado a gestão tucana já vinha ameaçando esses trabalhadores de demissão, sob o pretexto de que a lei que criou o instituto é inconstitucional, com aval do STF. Agora, já ao final do mandato, Marchezan aproveita a oportunidade para proferir esse ataque brutal aos trabalhadores da saúde.

Segundo o Sindisaúde, de 6 a 7 unidades de saúde não abriram as portas hoje por causa das demissões. São cerca de 500 funcionários que aguardam a rescisão até o final da manhã dessa segunda-feira.

Esse plano do PSDB de demissão, faz parte de um plano ainda maior de desmonte e privatização da saúde. Em setembro, a prefeitura já repassou parte da gestão da atenção primária à saúde para a iniciativa privada.

Marchezan está preparando o caminho para Sebastião Melo (MDB) dar seguimento aos ataques e à privatização da saúde em Porto Alegre. É um absurdo a demissão de mais de 500 profissionais da saúde em plena pandemia.

O papel que cumpre o STF e o judiciário golpista é de facilitar os ataques aos trabalhadores e abrir caminho à privatização. Precisamos lutar por um sistema de saúde 100% estatal, sob controle dos trabalhadores. É urgente agora a proibição das demissões durante a pandemia e, em Porto Alegre, pela readmissão desses trabalhadores que foram colocados na rua.




Tópicos relacionados

Privatização do SUS   /    Demissão   /    Marchezan   /    PSDB   /    Privatização

Comentários

Comentar