RACISMO

Jovem negro é preso pela Polícia do RIO sem provas e levado para presídio superlotado

sexta-feira 11 de setembro| Edição do dia

Danilo Felix, um jovem negro de 24 anos, havia sido preso no dia 06 de agosto acusado pelo crime de assalto a mão armada. O rapaz trabalhava no gabinete da reitoria da UFF e foi abordado por policiais à paisana e conduzido à delegacia sem terem nenhuma prova contra ele. Assim como o músico Luiz Carlos Justino, um violoncelista da orquestra da grota, Danilo foi identificado por uma foto retirada das redes sociais dele de 2017. Na época, ele tinha cabelo curto e bigode fino, característica do suposto assaltante do crime que ele é acusado. Mas desde 2019, Danilo tem cabelos longos. Por tanto de maneira nenhuma ele seria o autor do crime.

Ontem, a mulher dele, Ana Beatriz sobral, teve autorização para ir ao presídio visitá-lo pela primeira vez. Só que, ao chegar lá, descobriu que o marido havia sido transferido do presídio Thiago Telles, em São Gonçalo, para o presídio Evaristo de Moraes, mais conhecido como Galpão da Quinta. Ninguém foi avisado, nem a família, nem a advogada. Como se sabe, o Galpão da Quinta tem 252% mais internos do que suportaria e foi condenado na OEA.

Esse caso absurdo repercutiu nas redes sociais onde os internautas saíram em defesa de Danilo e contra sua prisão arbitrária. Haverá um grande protesto no dia 28,às 15h, em frente ao Tribunal de Justiça de Niterói. Danilo é mais uma vítima do racismo policial e judicial, que para prender um jovem negro procura acusação inclusive de anos atrás. Essa também é a faceta mais racista de um judiciário que tem pessoas negras como alvo, legitimando o encarceramento em massa da população negra no Brasil.

Nos solidarizamos com Danilo e sua família e repudiamos completamente o racismo policial e judicial que segue permitindo a prisão arbitrária da população negra brasileira. É preciso fazer ecoar os questionamentos profundos do Black Lives Matter nos EUA sobre a instituição policial e exigir pelo fim da polícia aqui no Brasil.




Tópicos relacionados

Racismo   /    Violência policial   /    Rio de Janeiro   /    [email protected]

Comentários

Comentar