×
Rede Internacional

FALTA DE RESPIRADORES | Foto escandalosa mostra paciente respirando com auxílio de saco plástico enquanto respiradores são superfaturados pelo governo

Em meio à falta de respiradores, o Estado do Amazonas, governado por Wilson Miranda (PSC), não presta conta sobre o dinheiro que deveria ter sido utilizado para adquirir o dobro de respiradores do que realmente foi comprado.

quarta-feira 22 de abril de 2020 | Edição do dia

Foto: Wilson Miranda Lima governador do Amazonas

Em uma foto que circulou nas redes sociais, um paciente contaminado com covid-19 aparece inconsciente, respirando com auxílio de um saco plástico improvisado pelos médicos da unidade. O caso aconteceu em Manaus, enquanto o paciente aguardava uma vaga em alguma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), a família do rapaz teria autorizado o procedimento e, depois do ocorrido, o paciente foi transferido para um hospital privado.

Após a morte de outra paciente em Manaus, de 63 anos, que também aguardava por vagas em UTI, a secretária estadual da saúde, Simone Papaiz, informou em uma coletiva que as vagas voltadas para o tratamento de covid-19 estão quase lotadas e que é necessária a contratação de mais profissionais da saúde para que possam ser abertos novos leitos.

Segundo o Ministério Público de Contas do Amazonas (MPC), foi iniciada uma investigação acerca da compra de 28 respiradores pelo governo do Amazonas, no valor de R$ 2 milhões e 970 mil. Conforme expresso em documento do Gabinete do Procurador Geral de Contas, o preço unitário que o governo federal vem pagando nos respiradores adquiridos é de R$ 57.300. No caso dos equipamentos que o Amazonas adquiriu, cada unidade sairia por volta de R$ 106 mil, o dobro do preço habitual.

O MPC deu um prazo de três dias para que o Estado apresente as justificativas por terem optado por um equipamento nesse valor e, caso contrário, o órgão precisará responder por sonegação de documentos e multa.

Como já exposto aqui no Esquerda Diário, em meio ao caos que Manaus vem passando, algumas grandes empresas mantém sua produção com normalidade, como é o caso da Samsung e da Transire Eletrônicos, que juntas fizeram mais de 5 mil trabalhadores voltarem à produção. Essas empresas têm o aval de Bolsonaro, dos governadores, militares, Maia e STF, que seguem sem apresentar uma saída para crise, descontando-a cada vez mais nas costas da classe trabalhadora.

Saiba mais: Multinacionais de Manaus garantem seus lucros em meio ao colapso da saúde

A única saída para Manaus e para o resto do país é a tomada dos meios de produção pelas mãos dos trabalhadores, de forma com que exerçam um controle operário nas grandes e pequenas empresas, voltando a produção completamente para a superação da crise, produzindo respiradores, ventiladores pulmonares, leitos e todos os equipamentos necessários. A imagem circulando nas redes sociais do paciente com um saco plástico só evidencia o completo descaso de Bolsonaro e dos governadores para com a população. É urgente a contratação de mais profissionais da saúde. Exigimos que não haja mais morte nas filas das UTIs causadas pela falta de comprometimento dos dirigentes do país.

Leia também: UTIs em Manaus chegam ao limite de atendimento pelo aumento de casos de covid-19




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias