×

Derrotar o SAMPAPREV 2 | Colocar a força dos servidores de SP nas ruas: 10/11 todos na Câmara contra o SAMPAPREV 2!

Amanhã 10/11 é um dia decisivo para a greve do funcionalismo municipal contra os absurdos de Nunes (MDB) que busca destruir nossos direitos, aprofundando o desmonte dos serviços públicos. Na manhã desta terça-feira, em diferentes regiões da cidade, servidores municipais realizaram atos, caminhadas e panfletagens contra o Sampaprev 2. O Governo quer votar amanhã o PLO 07. É fundamental paralisarmos cada escola, cada local de trabalho do funcionalismo e estarmos todos amanhã na câmara municipal às 14h para barrar esse ataque.

terça-feira 9 de novembro | Edição do dia

Essa é uma semana decisiva para a greve do funcionalismo municipal contra os absurdos de Nunes (MDB), que já arrancou direitos como faltas abonadas, com o PL 652, e quer aprofundar o primeiro SAMPAPREV para confiscar parte do dinheiro dos aposentados. Ou seja, Nunes está lado a lado de Doria, Bolsonaro e tantos outros governantes que aprofundam a degradação das nossas vidas, retiram direitos dos trabalhadores e da população.

Na segunda-feira, 08/11, foi votado e aprovado o relatório da comissão especial de estudos, que contava com ninguém mais ninguém menos que Rubinho Nunes (PSL), Fernando Holiday (Novo) e Janaina Lima (Novo) à frente, esses que fazem parte dessa casta nojenta da direita de MBLs, Vem pra Ruas e afins, que chamam educadores e servidores públicos de vagabundos. Como não era de se surpreender, a versão aprovada é ainda pior. Indica que o fundo a funcionar em regime de capitalização (FUNPREV) seja gerido por banqueiros e que a alíquota de contribuição possa confiscar até 22% de nossos salários!

Na manhã desta terça-feira, 09/11, em diferentes regiões da cidade, servidores municipais realizaram atos, caminhadas e panfletagens contra o Sampaprev 2, como na Zona Leste, Casa Verde e Butantã. Iniciativas muito importantes que, atreladas a um comando de greve unificado, poderiam dar maior peso na construção da greve do funcionalismo, abrir um diálogo com a população sobre nossa luta em defesa dos serviços públicos e ser parte da preparação para a manifestação chamada para dia 10/11. Porém, lamentavelmente, as direções à frente das entidades sindicais do município, especialmente o SINPEEM, não construíram de fato esses atos, assim como impediram que na última assembleia propostas da base da categoria, como atos regionais coordenados, fossem votadas. A velha prática de impedir que a categoria tenha direito a voto e voz segue. Menos ainda impulsionaram os comandos de greve pela auto-organização da categoria.

Leia mais: Contra SAMPAPREV 2: por um dia de luta e atos regionais em defesa dos serviços público

Ato de servidores nessa manhã de terça na Zona Leste.

Ato de servidores nessa manhã de terça na Zona Leste.

Ato de servidores nessa manhã de terça na Casa Verde.

Na quarta-feira, 10/11, haverá uma audiência pública da comissão de finanças e com isso o governo municipal e Milton Leite (DEM), presidente da câmara, poderão colocar o projeto em segunda e definitiva votação no plenário nesse mesmo dia. Portanto, é fundamental pararmos todas as escolas e demais repartições públicas onde atua o funcionalismo municipal, e estarmos todos amanhã na câmara municipal às 14h no ato e assembleia da categoria.

O Sinpeem, dirigido por Claudio Fonseca, desde a última assembleia de 04/11, vem chamando o dia 10 de o Dia D de nossa greve contra os ataques. Mas o fato é que não fez absolutamente nada para condizer minimamente com a construção de um dia como esse. E tampouco vimos as demais entidades sindicais do município, como SINDSEP dirigido pelo PT, atuando de forma diferente, pressionando ou exigindo que o SINPEEM ponha de pé um comando de greve unificado. Na prática seguem realizando ações isoladas que só enfraquecem a nossa luta, ou buscando saídas baseadas em uma estratégia meramente parlamentar que facilitam o governo a nos atacar.

Ao invés do Sinpeem colocar todas as forças materiais para construir a greve, produzindo materiais, inserções em TV e Rádio e mais do que isso, fazendo chamados às centrais sindicais que impulsionem campanhas de solidariedade com outras categorias - e não somente enviar representantes para falar nos caminhões nas assembleias - sob a direção de Cláudio Fonseca, o sindicato vem atuando para deixar mais uma luta isolada no país. E esse é um caminho que esses sindicatos e centrais, como CUT e CTB, teimam em seguir, mesmo depois da greve de 120 dias dos educadores do município, que poderia ter sido um ponto de apoio para outros educadores do país contra a reabertura insegura das escolas. Ou do último ataque de Doria no estado de São Paulo, em que a Apeoesp, dirigida também pelo PT, não impulsionou uma luta pela base, fazendo atos vazios em frente à Alesp como se fossemos ali mudar o voto daqueles que estão lá exatamente para nos atacar.

Desde o início da nossa greve, nós e diversos setores da oposição viemos defendendo a ativação do comando de greve unificado para articular as ações nas diversas regiões, planejar de forma democrática os rumos da nossa luta, impulsionar ações em unidade com o conjunto do funcionalismo para construir a greve nas regiões, fornecer estrutura para que os comandos de greve de cada região pudessem fazer visitas aos locais de trabalho. Imagina o impacto de ações conjuntas, com trabalhadores da saúde, do serviço funerário, professoras e outros setores fazendo visitas em diferentes locais de trabalho, conversando com os trabalhadores e a comunidade usuária desses serviços. Sem dúvidas que estaríamos falando de outro patamar de mobilização.

Essa quarta-feira, 10, é um dia fundamental da nossa luta, por isso é necessário paralisar cada escola, cada local de trabalho do funcionalismo! Todas e todos na frente da câmara municipal às 14h. Mais uma vez estamos vendo que não podemos apostar nossas fichas na esperança de virar os votos de vereadores que já mostraram ao que vieram, que inclusive aumentam o próprio salário enquanto a população padece. Ainda há tempo para avançarmos, nos organizarmos e unificar as nossas forças para barrarmos esse ataque!

Abaixo o SAMPAPREV 2 e os ataques contra os servidores e os serviços para a população!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias