Perseguição política

Banco do Brasil persegue delegada sindical em São Paulo

O Banco do Brasil abriu processo administrativo contra a delegada sindical Thais Menezes, após esta realizar uma série de denúncias sobre o descumprimento dos protocolos sanitários e exigir condições para proteger a saúde do conjunto dos trabalhadores no complexo Verbo Divino do BB, zona sul de São Paulo.

segunda-feira 5 de outubro| Edição do dia

Em seu exercício de representante sindical eleita em seu local de trabalho, o CESUP – Plataforma São Paulo, Thais Menezes encaminhou uma série de denúncias e reivindicações junto aos trabalhadores de sua unidade para exigir da gestão do banco os protocolos sanitários necessários à proteção da saúde de efetivos e terceirizados de sua unidade.

A representante sindical atuou ao longo da pandemia fiscalizando e reivindicando a garantia dos protocolos sanitários e de sanitização na ocorrência de casos de Covid-19. Cobrou também a proteção dos trabalhadores terceirizados pertencentes ao grupo de risco que estavam sendo obrigados a permanecer em trabalho presencial enquanto o direito à quarentena era garantido aos efetivos.

A direção do banco não apenas respondeu com negligência quando demorou vários dias para realizar a sanitização do local após a confirmação de caso de Covid-19, como também está respondendo agora com a evidente perseguição política à delegada sindical ao instaurar processo administrativo, tentando cercear os trabalhadores de suas ferramentas de organização e defesa de seus direitos.

“Zelar pela saúde, a garantia de direitos e a proteção ao contágio pelo Covid19 junto aos bancários e aos trabalhadores em empresas terceirizadas não é nada mais do que a minha obrigação enquanto representante sindical de base. Mas a gestão do BB quer ir na contramão da defesa da vida e tenta assim punir quem defende direitos. Com essa atitude, o BB segue a cartilha da política de morte do governo Bolsonaro, que abandona os trabalhadores na mira do vírus que já matou mais de 140 mil e contaminou mais de 4 milhões no Brasil. Não podemos compactuar com essa conduta e com a tentativa de cerceamento da liberdade sindical. Por tudo isso é que é tão importante a luta contra esse processo e em defesa de todos aqueles que se colocam em movimento pelos direitos e pela vida da classe trabalhadora”, disse Thais ao Esquerda Diário.

O Esquerda Diário, junto a outras organizações e sindicatos, é parte da luta pela imediata retirada do processo administrativo contra Thais Menezes, delegada sindical, e pelo fim da perseguição política no Banco do Brasil e na Caixa. Nesse sentido, é fundamental cada bancário e cada um dos sindicatos de bancários de todo o país encamparem essa luta em defesa da organização dos trabalhadores e não deixar ninguém pra trás.




Tópicos relacionados

Banco do Brasil   /    Perseguição Sindical   /    Sindicatos

Comentários

Comentar