Política

EDUCAÇÃO RIO DE JANEIRO

Secretária de Educação de Magé-RJ determina ’retorno imediato’ de trabalhadores do grupo de risco

Jamille Cozzolino (PP) é secretária de Educação e Cultura e vice prefeita de Magé, e também irmã do prefeito Renato Cozzolino (PP) investigado por nepotismo. A secretária afirmou em documento enviado a diretores de escolas e creches do município que o 'retorno imediato' ao trabalho era necessário porque estado de calamidade pública na cidade não foi prorrogado, mesmo com o crescimento de casos recente.

quinta-feira 4 de fevereiro| Edição do dia

A determinação é do último dia 19 e afirma o retorno "imediato" ao trabalho de profissionais da pasta que fazem parte do grupo de risco da Covid-19. As informações constam numa circular da secretaria.

No ofício, Jamille diz que um decreto publicado pela prefeitura em dezembro de 2020 estabelecia que as aulas presenciais estavam suspensas apenas naquele mês. Por isso, e como não houve a prorrogação do estado de calamidade pública ou novo decreto sobre o tema, a secretaria decidiu ser "necessário o retorno imediato" do grupo mais vulnerável ao coronavírus às atividades, mesmo com a informação de que não deve haver retorno das aulas presenciais.

Assim como em SP, onde Dória está lavando as mãos e os estudantes terão de assinar termo de responsabilidade para retorno, no RJ, Claudio Castro, governador em exercício e Eduardo Paes, prefeito da cidade do Rio, cada qual à sua maneira, já declararam sua disposição em impor o retorno às aulas de maneira arbitrária, e claro, sem garantir qualquer medida sanitária séria.

Todos eles falam demagogicamente do direito dos jovens à educação, mas como parte desse regime golpista, junto ao negacionista Bolsonaro, não garantiram testagem massiva e, ao contrário, foram responsáveis por precarizar ainda mais a saúde com medidas de terceirização e desinvestimento ao longo dos últimos anos.

Os trabalhadores da educação, junto a comunidade escolar e os trabalhadores da saúde que tem sido verdadeiros guerreiros na linha de frente do combate à covid-19, são os únicos que podem formular e executar um plano responsável com todas as medidas necessárias para melhor atender os estudantes e suas famílias nesse momento, porque são os que valorizam a vida e não os lucros ou a politicagem desses políticos do regime.

Conheça a posição dos profissionais da educação do Movimento Nossa Classe no Rio de Janeiro: Após as assembleias do Sepe-RJ: organizar a unidade dos professores com os trabalhadores da Saúde




Tópicos relacionados

Vacina contra a covid-19   /    COVID-19   /    Nossa Classe Educação   /    Educação   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar