Política

CORONAVÍRUS E PREVIDÊNCIA

Reforma da Previdência deixa víuvos e órfãos da Covid sem parte do sustento

As mudanças na reforma da previdência aprovada no ano passado fazem com que muitos que perderam seus entes queridos tenham outro problema: perda de parte de seu sustento.

sábado 26 de setembro| Edição do dia

Se já não bastasse a catástrofe que estamos imersos com a pandemia, com quase 150 mil mortes apenas nos números oficiais, muitos do que perderam seus entes queridos tem que lidar com outro problema: perder seu sustento.

Isso se dá porque a reforma da previdência alterou o cálculo para o pagamento de pensões. Para os falecidos antes da aprovação de reforma, seus dependentes tinham direito a 100% da aposentadoria como pensão. Agora, pensão é paga no valor de 50% da aposentadoria + 10% por conjugue. Caso não seja aposentado, a situação é ainda pior: o cálculo se dá por 60% da média de todas as contribuições mais 2% por ano a partir de 20 anos de contribuição em caso de homens e 15 anos no caso de mulheres.

Além disso, a reforma mudou a fórmula antiga, que considerava para a média apenas 80% dos maiores rendimentos, descartando os 20% mais baixos. A nova fórmula usa como base 100% dos rendimentos, o que diminui ainda mais o valor.

Como sempre a população mais pobre é a mais atingida pela crise sanitária. São os empregos mais precários que nunca tiveram direito a fazer quarentena e ficaram mais expostos a contaminação. São esses que não tiveram acesso a saúde privada e morreram na fila do SUS. São as profissionais de menor salário que se viram mais sujeitos a perderem seu emprego e também os mesmos que mais vão se ver com sustento. Isso mostra que, apesar do vírus ser "natural", o impacto dele é causado diretamente pelo capitalismo. Vale lembrar que a reforma da previdência foi aprovada por uma articulação de Bolsonaro e Guedes com Maia, o Congresso e inclusive com o STF validando tudo, mostrando que essas instituições, apesar de suas fricções pontuais, se unem quando o assunto é atacar os trabalhadores.

Pode interessar: 10 provas de que a Reforma da previdência não é justa




Tópicos relacionados

COVID-19   /    Coronavírus   /    Governo Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    Política

Comentários

Comentar