×

Nas últimas semanas, o país passou por diversos casos absurdos de machismo e misoginia, em que as mulheres não tem o direito de abortar, de colocarem para adoção ou sequer parir. Isso sem mencionar as piores condições de trabalho e salários.

segunda-feira 11 de julho | Edição do dia
Fonte: G1

Tomamos conhecimento de mais um caso de violência por estupro, com flagrante incontestável feito por funcionários do Hospital da Mulher Heloneida Studart em Vilar dos Teles na cidade de São João de Meriti, por meio de vídeo gravado de um celular na sala de cirurgia, enquanto a vítima passava por procedimento de cesárea.

O criminoso estuprador, misógino e asqueroso se chama Giovanni Quintella Bezerra, médico anestesista de plantão no hospital, onde os trabalhadores do local já vinham desconfiando de seu comportamento onde mais de uma paciente vinha recebendo doses altas de anestesia.

A pré-candidata a deputada estadual pelo MRT comentou o caso:

O vídeo gravado flagra o médico colocando seu órgão sexual na boca da paciente indefesa que estava sedada. Foi através dessa constatação que a delegada Bárbara Lomba, da Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti, se dirigiu ao hospital e por vídeo gravado deu a voz de prisão ao médico estuprador.

Porém, mesmo com indícios de que o médico responderá ao caso, não podemos ter esperança nesse judiciário que, há poucas semanas, queria que uma menina de 11 anos tivesse um filho, fruto de um estupro. Para mulheres e grupos minoritários a normatização de crimes e diminuição de sua importância seguem nesse sistema patriarcal, onde a mulher continua sendo vista como objeto de agressões de diversas formas apenas por ser mulher.

Os ataques de estupradores e assediadores não podem continuar, atos que recebem aval do próprio presidente desde o dia em que Bolsonaro atacou a ainda hoje deputada federal Maria do Rosário (PT), dizendo que não a estuprava pois ela não merecia, no ano de 2003, e isso se soma a diversos outros ataques de assédio e misoginia onde o currículo desse nojo de presidente vai longe. Basta de governo de criminosos misóginos e todo apoio às mulheres que lutam pelo mínimo, que é a igualdade de direitos dados aos homens e um basta de agressões.

Também comentou o caso a Letícia Parks:




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias