×

Justiça por Genivaldo | Ministério e PRF soltam “justificativa” grotesca e chamam tortura de “técnica de imobilização e menor potencial ofensivo”

A Polícia Rodoviária Federal de Sergipe e o Ministério da Justiça e Segurança Pública soltaram uma nota oficial sobre o assassinato de Genivaldo carregada de um cinismo grotesco em que justificam a tortura da câmara de gás com o termo técnico de emprego de “técnica de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo”. Um cinismo que serve à impunidade dos assassinos fardados.

quinta-feira 26 de maio | Edição do dia

Não é de hoje que a polícia usa e abusa da sua autoridade para cometer barbaridades contra a população pobre e negra de nosso país. A diferença dessa vez foi que eles foram gravados cometendo essa barbaridade. Não há outra palavra para descrever o que eles fizeram: tortura. Foi uma tortura grotesca, violentíssima, digna dos tempos mais obscuros da ditadura militar e que, não casualmente, remeteram às câmaras de gás dos campos de concentração nazistas. Essa é a verdadeira face da polícia brasileira - militar ou mesmo civil.

Após comoção nacional diante do vídeo, a PRF de Sergipe, junto do Ministério da Justiça e Segurança Pública, soltou uma nota justificando o crime de uma forma grotesca. Disseram que “Em razão da sua agressividade, foram empregados técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção e o indivíduo foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil”. “Menor potencial ofensivo”?!? “Técnicas de imobilização”?!?! Esses monstros jogaram Genivaldo no camburão como se fosse um bicho e sufocaram ele até a morte com gás lacrimogêneo e gás de pimenta. As pessoas ao redor assistiram e gravaram a cena chocados, gritando que eles iam matá-lo. Não houve nenhuma “técnica de imobilização” e sim uma técnica de tortura nua e crua.

Leia mais: "Sindicatos e entidades estudantis precisam convocar atos por Justiça por Genivaldo”, diz Pablito

Depois disso, afirmam que “lamentam o ocorrido” e que foi aberto “procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais”. Leia-se: impunidade. Vão tentar esperar um tempo para abafar o caso e esperar que o Brasil esqueça. Mas nós nunca esqueceremos. Essa atrocidade ocorre exatamente 2 anos após a morte de George Floyd que sacudiu os Estados Unidos. Lá, após um policial também torturar Floyd e assassiná-lo a sangue frio, sufocando-o, a juventude, movimento negro e trabalhadores de todo o país se lavantaram para exigir Justiça por George Floyd! A população de Umbaúba também já se levantou nessa quinta-feira e mostrou o caminho. Por isso é fundamental que sindicatos e entidades estudantis convoquem atos por todo o país para lutar contra a violência policial, o racismo, a extrema-direita bolsonarista e por Justiça por Genivaldo!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias