Violência Policial

Jonath presente! Brutal assassinato de jovem negro no interior do Mato Grosso

No dia 1º de outubro, em Chapada dos Guimarães à 65 km de Cuiabá, Jonath da Silva Rosário, jovem negro de 23 anos, foi baleado por policiais militares enquanto, supostamente, estava “em alta velocidade e fazendo algazarra” em sua moto. Apenas uma desculpa racista de uma polícia racista que mata sem o menor pudor, apenas pela vontade de sangue.

terça-feira 6 de outubro| Edição do dia

Na madrugada do dia 1º de outubro, em frente ao Banco do Brasil da Praça Dom Wunibaldo, no centro de Chapada dos Guimarães, à 65 km de Cuiabá, aconteceu um brutal assassino. Jonath da Silva Rosário, jovem negro de 23 anos, foi baleado por policiais militares enquanto, supostamente, estava “em alta velocidade e fazendo algazarra” em sua moto. Apenas uma desculpa racista de uma polícia racista que mata sem o menor pudor, apenas pela vontade de sangue.

Como pode-se ver nesse vídeo de uma câmera de segurança perto do local, um policial tenta parar a moto à chutes, enquanto o outro atira. O disparo acertou a coxa direita de Jonath, que faleceu poucas horas depois, foi levado pelo SAMU ao hospital, mas chegou já sem vida.

Jonath saiu para levar a namorada em casa e voltava para a residência da família para dormir e trabalhar no dia seguinte. Nos últimos dias, familiares, amigos e moradores da cidade se manifestaram exigindo justiça por Jonath.

Créditos das imagens: Luiza Rodrigues, amiga de Jonath.

A PM afastou os dois policiais e, mais recentemente, prendeu um dos policiais. O caso agora está sendo investigado pela Corregedoria da PM. Nada de justo sairá daí. Como podemos confiar em uma instituição que mata um jovem a sangue frio? A questão que fica é: qual a legitimidade de alguém tirar a vida de um jovem de forma tão arbitrária? Infelizmente, em Chapada dos Guimarães e em muitos outro casos no Brasil, é a polícia que mata e quem julga ser ou não legítimo matar um jovem de 23 anos negro, trabalhador e inocente.

Infelizmente, não basta prender uma ou outra “maçã podre” - isso não é um caso isolado de violência policial contra um jovem negro e trabalhador.

E bem sabemos: estamos em campanha eleitoral. Para os políticos do “mais do mesmo”, o assassinato de Jonath é uma oportunidade de demagogia política para se eleger. Nenhuma justiça verdadeira poderá vir dessa forma, como é o caso dos partidos que concorrem para a prefeitura. Dentre os candidatos, os partidos que concorrem são o DEM e PSDB, partidos que governam o centro-oeste e deixam o pantanal queimar para o agronegócio fazer pasto e arruinar empregos no turismo como em Chapada dos Guimarães ; os partidos do centrão fisiológico e corrupto que ninguém sabe o que defendem como o PV, PP e PL; e a extrema-direita que adora Bolsonaro com o PSL e PRTB e querem deixar a “boiada passar” contra a classe trabalhadora.

Apenas a organização da nossa classe, dos trabalhadores e trabalhadoras, negros e brancos, pode realmente dar justiça às famílias que sofrem todos os dias com a violência da polícia - não será o judiciário que resolverá o problema, esse mesmo que hoje está de abraços com Bolsonaro. Sigamos o exemplo do movimento Black Lives Matter, das negras e negros nos Estados Unidos que se levantaram contra a polícia racista exigindo o desfinanciamento da polícia, expulsando os policias de seus sindicatos e, inclusive, batalhando pelo fim da polícia.

O Esquerda Diário presta toda a solidariedade à família da vítima.
Basta de morrer pelas balas da polícia! Basta de racismo policial!

Jonath presente!




Tópicos relacionados

Racismo Policial   /    #BlackLivesMatter   /    Mato Grosso   /    Racismo   /    Violência policial   /    [email protected]

Comentários

Comentar