Política

Governo federal não apresenta um plano de vacinação contra a Covid-19

Determinação havia sido feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU), e o prazo expirou semana passada, mas o governo vai recorrer.

quarta-feira 25 de novembro de 2020| Edição do dia

(Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo)

Recurso do governo federal se baseia no fato de que o TCU teria listado a Casa Civil como responsável pelo plano, e não apenas o Ministério da Saúde. Se apoiando em uma mera formalidade, o governo busca se eximir da culpa.

A questão da vacina tem estado em voga no Brasil nas últimas semanas, especialmente pelas disputas em o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria, sobre qual vacina seria comprada e aplicada. O que esta disputa esconde é que nenhum dos dois empreendeu um combate efetivo a pandemia, garantindo testes massivos, unificando as filas do sistema de saúde e nem sequer provendo EPIs básicos para os profissionais da saúde.

O Ministério da Saúde promete que começará a vacinação em janeiro de 2021 e que irá comprar 186 milhões de doses, mas é o mesmo Ministério da Saúde que, com Mandetta, prometeu interminavelmente a chegada de milhões de testes que nunca chegaram. Por isso, a luta fundamental é para que sejam disponibilizadas vacinas em quantidade suficiente, bem como que todos os estudos sejam públicos para aqueles que quiserem acompanhar.

Se Bolsonaro tem uma postura negacionista e Doria faz demagogia com a vacina, é fundamental que a produção, distribuição e aplicação sejam estatais, com controle e fiscalização por parte das organizações dos trabalhadores da saúde, como discutimos aqui




Tópicos relacionados

Vacina   /    pandemia   /    Coronavírus   /    Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    João Doria   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar