×

Catástrofe capitalista | Enchentes no Tocantins: 900 afetados, dois mortos e centenas de desabrigados

Segundo os números oficiais da Defesa Civil já são 35 municípios do estado afetados pelas enchentes, somando 894 afetados no total e 494 desabrigados ou desalojados. Os alojamentos de emergência já se encontram lotados e a situação tende a piorar, com a elevação do nível de alerta para vermelho pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), e chuvas de até 100 milímetros.

terça-feira 4 de janeiro | Edição do dia

Já são diversos estados do país afetados por chuvas torrenciais, tempestades e alagamentos em diversos municípios, desalojando famílias inteiras e inclusive gerando mortes em alguns lugares. No Tocantins a situação mais grave se encontra na Região do Bico do Papagaio, mais especificamente no município de São Miguel do Tocantins que fica às margens do rio que dá nome ao estado, somando mais de 400 afetados, quase metade do total divulgado pela Defesa Civil.

Com a chegada do período anual de chuvas fica evidente o descaso de Bolsonaro e dos governos em relação a situação da população, isso sem contar o evidente descontrole climático fruto da predação ambiental capitalista, onde vemos com cada vez mais frequência fenômenos que até então eram incomuns: tempestades de areia no interior do país, estiagem prolongada, amplitudes térmicas de mais de 10°C no mesmo dia, entre outras tragédias capitalistas. No estado do Tocantins quatro municípios já decretaram situação de emergência, e devido às tempestades casas, plantações e carros estão completamente submersos; praias, cachoeiras e portos para utilização de balsas estão alagados.

A população está em verdadeiro desespero, com os alojamentos lotados e sem perspectiva de para onde ir, além de perderem tudo que conquistaram ao longo de suas vidas. Duas pessoas que tentaram atravessar rios e córregos acabaram morrendo, uma responsabilidade direta dos governos. As tragédias capitalistas provocadas pela alta das chuvas e descaso dos governos se soma ao aumento no número de casos da Covid-19 pelo país, com a epidemia de Influenza que acomete diversos estados nacionalmente, além da fome e miséria crescentes. Não é possível esperar as eleições, é preciso batalhar por um plano de emergência já. Que as Centrais Sindicais organizem a luta junto aos movimentos sociais e o conjunto da população.

Veja também: Os governos são culpados pelas tragédias anuais com as chuvas. As centrais sindicais precisam organizar a luta por um plano emergencial

Os números atualizados no momento da redação desta matéria são:

  • São 340 pessoas desabrigadas, que precisaram sair das suas casas e foram levadas para abrigos públicos;
  • Outros 154 ficaram desalojados e precisaram ir para casa de parentes ou amigos;
  • 894 afetados: desalojados, desabrigados, resgatados, retirados ou afetados de alguma outra forma.

Pode interessar: Cidades na Bahia e outros estados começam o ano debaixo d’água graças à Bolsonaro e os governos




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias