Política

Em sabatina, Kassio Marques agradece a Bíblia, "estou diante de um verdadeiro chamado"

O desembargador Kassio Nunes Marques, indicado para o Supremo Tribunal Federal (STF), iniciou sua sabatina no Senado citando frases bíblicas e dizendo estar diante de um "verdadeiro chamado" para ocupar uma cadeira na mais alta corte judicial do País.

quarta-feira 21 de outubro| Edição do dia

Foto: Divulgação/OAB

Bolsonaro descumpriu a promessa feita aos setores evangélicos, mas nem por isso deixou de nomear ao Supremo um nome que defenderá o abominável vínculo entre Igreja e Estado. Católico, Kassio Marques começou justamente agradecendo a bíblia pela nomeação. Entre as citações bíblicas citadas pelo desembargador, estão declarações do profeta Isaías - "eis o Deus, meu salvador, eu confio e nada temo" - e do evangelho de Lucas: "a quem muito foi dado, muito lhe será pedido".

Veja mais Para agradar centrão, Bolsonaro indica Kassio Nunes como ministro do STF

Contra o aborto e pró armas: “100% alinhado comigo”, diz Bolsonaro sobre Kassio Marques

A sabatina do desembargador, se trata de um evento praticamente protocolar, já que Kassio já vinha fazendo o trabalho de bastidor entre os senadores para angariar os necessários votos favoráveis. Além do que, o nome de Kassio, um desconhecido até então, emergiu justamente pelo apoio dado pelo Centrão. Assim apesar de Bolsonaro não presentear sua base evangélica com a indicação, presenteou o Centrão, outro pilar de seu governo.

O interesse do Centrão com a nomeação é enterrar de vez a operação Lava Jato, empregue pelo judiciário para avançar seletivamente contra a casta política, como muitos membros do Centrão. Assim a nomeação de Kassio cumpre a palavra de Bolsonaro, de acabar com a Lava Jato, devido ao suposto fim da corrupção no seu governo.

Pode te interessar: Bolsonaro: a união estável com o Centrão e o divórcio com a Lava Jato do filho indesejado do golpe

Veja outros pontos da sabatina de Kassio Marques:

Currículo

Na sabatina, Marques afirmou que não fez nenhuma pós-graduação na Espanha e apontou uma confusão na tradução do termo "postgrado" apresentado por ele. "A expressão foi inserida com fidelidade e na forma exata como constou da programação do curso da Espanha. Não há menção a pós-graduação nenhuma na Espanha", disse Marques em sua fala inicial na CCJ.

Conforme o Estadão revelou, o currículo do magistrado traz um curso de pós-graduação que não é confirmado pela Universidad de La Coruña, na Espanha. O desembargador atribuiu a inconsistência a uma confusão no termo "postgrado", em espanhol, afirmando que a palavra não tem o mesmo significado no Brasil e que serve para classificar qualquer curso realizado após uma graduação.

O fato é que "postgrado" é, sim, pós-graduação, nos mesmos moldes definidos pelo entendimento no Brasil ou no exterior. Além disso, a própria Universidad de La Coruña foi clara em sua resposta, referindo-se exatamente ao mesmo termo - "postgrado" - para afirmar que não houve o curso.

Poderes

Diante da reação do Senado contra o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), o desembargador Kassio Marques criticou a interferência de um Poder em outro durante sua fala inicial na CCJ do Senado. O colegiado realiza nesta quarta-feira a sabatina do magistrado, indicado para compor o Supremo Tribunal Federal.

Ao falar sobre seu histórico e as teses gerais que defende, Kassio Marques afirmou que a separação dos Poderes é uma condição da estrutura do Estado. A "indevida ingerência" de uma instituição em outra, declarou o indicado, configura inconstitucionalidade - ou seja, descumpre a Constituição Federal - e, a depender do caso específico, contraria também as leis do País.

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Kassio Nunes Marques   /    Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    STF   /    Política

Comentários

Comentar