Mundo Operário

USP

É urgente contratar mais trabalhadores da saúde para o Hospital Universitário

O aprofundamento da crise do coronavírus, com a 4ª morte registrada e a transmissão comunitária do vírus coloca a urgência de contratações emergenciais nos hospitais, UBSs e centros de saúdes de todo o país. Na Zona Oeste de São Paulo, onde já existem dezenas de casos confirmados do vírus e centenas de casos suspeitos, é fundamental que o Hospital Universitário funcione em sua plena capacidade, sem sobrecarregar os trabalhadores da saúde, preservando também sua segurança e suas vidas.

quarta-feira 18 de março| Edição do dia

O Hospital Universitário da USP tem sofrido com o acelerado desmonte e sucateamento promovidos pelas reitorias ao longo dos anos, especialmente depois de 2014, quando o reitor da época, um médico, Marco Antônio Zago fez inúmeras tentativas de desvincular o hospital, para entrega-lo às fundações privadas. As contratações de funcionários para toda a universidade e para o hospital foram congeladas. Isso causou o referenciamento do hospital, que mantém fechado para a população os prontos-socorros infantil e adulto, além da ausência de médicos de diversas especialidades e funcionários de diversas áreas do hospital da enfermaria à nutrição e atendimento. Diante da crise do coronavírus e da necessidade urgente de abertura de novos leitos e atendimento a pleno vapor é inaceitável que não haja mais contratações urgentes e emergenciais para o hospital.

Sobre isso, Babi Della Torre, funcionária do hospital Universitário e representante dos funcionários no Conselho Universitário da USP (CO) disse:

“A Reitoria da USP numa atitude completamente irresponsável, quer expor os trabalhadores da saúde que fazem parte do grupo de risco maiores de 60 anos ao contágio pelo coronavírus. Numa postura autoritária a reitoria parece querer escolher quem vai se contaminar. NO entanto, essa mesma reitoria não fala uma palavra sobre as contratações emergenciais para o Hospital Universitário.

Aqui estamos trabalhando sem parar, preocupados em salvar vidas e expostos ao contágio e a situação insalubres em todos os níveis. Para a nossa segurança e para que não haja sobrecarga e adoecimento é urgente contratar mais trabalhadores da saúde para o Hospital Universitário.

Nessa situação, onde a população está entregue a própria sorte, com a ausência de um plano sério de combate ao vírus e preservação da vida, é preciso a abertura de novos leitos, disponibilização de testes para a população. Todos os aparelhos de saúde, públicos e privados, devem ser unificados e centralizados para enfrentar a crise.

Em nome da vida e da saúde da população e dos trabalhadores da saúde é urgente a contratação de mais trabalhadores, médicos, enfermeiras, técnicos de enfermagem, e diversas áreas para o HU!”




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Hospital Univeristário da USP   /    SINTUSP   /    Saúde   /    USP   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar