Educação

UFRGS

Contra a expulsão dos 195 cotistas e rumo ao 19J! Reunião aberta da Faísca UFRGS

A Juventude Faísca na UFRGS convoca uma reunião aberta neste sábado (12), às 15hs, para debater sobre a absurda expulsão de 195 cotistas da universidade, efetuada pelo interventor bolsonarista Carlos Bulhões e sua reitoria. Além disso, discutiremos também sobre os cortes bilionários às universidades federais e a luta contra Bolsonaro e Mourão, rumo ao ato do dia 19/06.

quinta-feira 10 de junho| Edição do dia

Enquanto o Brasil se aproxima da triste marca de 500 mil mortos por Covid-19, Bolsonaro, Paulo Guedes, os militares e companhia querem aplicar ataques que vão precarizar ainda mais a vida dos trabalhadores e da juventude, como a Reforma Administrativa, essa que atinge em cheio as universidades. Tudo isso contando com o apoio do Congresso, do STF, da grande mídia e demais capitalistas interessados apenas em seus lucros. Para administrar os destroços e garantir a elitização das universidades, Bolsonaro colocou seus capangas interventores em dezenas de federais pelo país. Por isso afirmamos que a luta contra Bolsonaro, os cortes e as expulsões é uma só!

Na UFRGS estamos vivenciando a absurda expulsão de 195 estudantes cotistas. Um ataque direto aos filhos da classe trabalhadora, que mesmo conseguindo furar o filtro social e racial do vestibular, foram chutados da universidade pela reitoria através das matrículas precárias, alguns a poucos semestres de se formarem, tendo seus sonhos sequestrados! Os desligamentos provocaram uma enorme revolta em toda a comunidade acadêmica, além de trabalhadores e estudantes secundaristas da região, que apoiaram a exigência da matrícula imediata de todos os cotistas em um expressivo abaixo assinado com quase 3 mil assinaturas impuslionado por estudantes da psicologia.

A matrícula precária foi criada na gestão do último reitor, Rui Oppermman, gestão apoiada por setores do PT e PCdoB, que já aplicava inúmeros cortes e ataques aos setores mais precarizados da universidade, como cotistas e trabalhadoras terceirizadas. Esse mecanismo foi criado pela reitoria e mantido pelo Consun (Conselho Universitário) para excluir cotistas da universidade e avançar na sua elitização, por isso não podemos depositar nenhuma confiança na reitoria e no Consun, e sim devemos confiar na nossa própria força, aliada aos terabalhadores de dentro e fora da UFRGS.

Veja também: Contra a expulsão dos 195! Lutemos em defesa das cotas e por uma UFRGS a serviço dos trabalhadores

O dia 29/05 demonstrou uma grande disposição de luta e por isso estão sendo convocados novos atos para o dia 19/06. Não podemos permitir que nossa força seja canalizada para fortalecer a CPI da Covid tampouco servir de palanque eleitoral para 2022, ambas saídas institucionais. Precisamos lutar contra Bolsonaro, Mourão e seus interventores agora! Para isso é necessária a unidade de nós, estudantes que mostramos disposição de luta no 29M, com os trabalhadores, exigindo das centrais sindicais, como CUT e CTB, que convoquem uma paralisação nacional contra Bolsonaro e Mourão.

A reunião irá ocorrer via GoogleMeets. Pra receber o link, chama no whats (51) 982422852.




Tópicos relacionados

Rio Grande do Sul   /    Bolsonaro   /    Intervenção Federal   /    UFRGS   /    Cotas étnico-raciais   /    Cotas Raciais   /    Faísca - Juventude Revolucionária e Anticapitalista   /    Porto Alegre   /    Educação

Comentários

Comentar