COVID-19

Cada vez mais crianças internadas com covid, mas Covas segue com abertura das escolas

O número de crianças internadas com Covid-19 vem aumentando desde o início do ano. No Hospital Albert Einstein, desde o início da pandemia foram internadas 80 crianças, das quais 1 precisou de intubação. Agora esse número vem crescendo e é fruto da política de Covas, Dória e Bolsonaro que não garantem nem testes massivos nem vacinação massiva para a população.

sexta-feira 5 de março| Edição do dia

Foto: Filipe Araújo

É escandaloso que agora inclusive crianças estejam lutando pelas suas próprias vidas nos hospitais, sofrendo as consequências do governo genocida de Bolsonaro e do governo demagógico de Dória que, apesar de lançar-se como o garantidor da vacinação, não é sequer capaz de garantir vacinação completa para o grupo prioritário.

No Hospital Santa Catarina a situação é gritante. Os 16 leitos de UTI pediátricos estão com ocupação de 56% e o Sabará Hospital infantil vem diagnosticando, por dia, 3 crianças com covid.

Já nos hospitais públicos a situação é pior ainda, são mais de 80% dos leitos infantis ocupados, a exemplo do Hospital Municipal da Criança e do Adolescente que registrou um aumento de 86,41% de ocupação entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021. Também no Hospital Infantil Cândido Fontoura houve a superação da marca de 76,5% de taxa de ocupação de leitos, e no hospital Municipal Infantil Menino Jesus, houve aumento de 56,63%.

Esses dados nos mostram que as crianças também estão sofrendo duramente as consequências do descaso da política bolsonarista de descaso com a vida da população. A política do governador João Dória com a vacina é meramente demagógica, pois, ao prometer vacina para a população, entrega, na verdade, a falta delas para o grupo prioritário e a falta de testagem massiva para a população, mostrando que suas palavras são um alavanque político. Além disso, a prefeitura de Covas que também ordenou a reabertura das escolas no município de São Paulo não verificou sequer as condições estruturais das escolas para a reabertura, sem falar da falta de garantia sanitária para a comunidade escolar retornar.

Além disso, o governo Dória e a prefeitura de Covas, não satisfeitos com o aumento de crianças contaminadas em Dezembro de 2021 e Janeiro de 2020, reabriram as escolas sem garantir vacinação e testes para a comunidade escolar, jogando-a para a morte. Isso já surtiu seus efeitos, quando inúmeras terceirizadas e professoresdenunciaram as péssimas condições e o medo sob os quais são obrigados a trabalhar na pior fase da pandemia.

É fundamental que a comunidade escolar (professores, alunos e terceirizados) decidam quando e como voltar às escolas. Para isso, é fundamental a garantia de testes massivos para isolar racionalmente a população, controlando os focos de contaminação e a vacinação para todos.




Tópicos relacionados

Reabertura das escolas   /    Bolsonaro   /    COVID-19   /    Pandemia   /    Bruno Covas   /    João Doria

Comentários

Comentar