Internacional

29M

Atos do 29M contra Bolsonaro também irão acontecer em vários países do mundo

As mobilizações do dia 29 de maio extrapolam o Brasil e também estão sendo convocadas em diversas capitais pelo mundo. Paris, Roma, Lisboa são algumas das capitais em que a revolta contra a situação catastrófica produzida por Bolsonaro e pelo regime do golpe também se expressarão.

sábado 29 de maio| Edição do dia

A situação catastrófica que o Brasil atravessa, em relação a pandemia e a crise econômica, levou a convocação de atos por todo o país. São esperadas manifestações em 85 cidades brasileiras.

Porém a revolta diante dos resultados de um governo genocida como o de Bolsonaro, assim como todo o regime político brasileiro que é co-responsável pela catástrofe nacional, provoca a convocação de atos de apoio no mundo todo. Estão previstos atos internacionais em apoio às manifestações no Brasil nas seguintes cidades:

  • Zurich, 11h
    Estação Principal de Zurich
  • Bruxelas, 15h
    Gare central
  • Paris, 17h
    Place de Republique


manifestantes em Berlim com faixa "Bolsonaro Genocida"

  • Roma
    Local a confirmar
  • Lisboa, 17h30
    Alameda de Dom Afonso Henriques
  • Porto, 2 locais e horários!
    16h30 - em frente ao Centro Português de Fotografia
    18h - Estádio do Dragão
  • Montevideo, 12h
    Embaixada Brasileira
  • Oxford, 13h
    Em frente ao Restaurante do Fernando
  • Londres, 12h
    Russell Square (Marcha Kill The Bill)

O desejo que se expressa de sair às ruas mesmo diante da grave situação da pandemia no país é uma demonstração do tamanho da revolta popular. Os trabalhadores submetidos numa situação de desemprego, crescimento da miséria e da fome percebem que não dá mais para esperar até 2022, como desejam as direções burocráticas dos movimentos estudantis e de trabalhadores que trabalham para separar e conter as mobilizações, as limitando para que sirvam apenas de ponto de apoio às suas políticas de desgaste, como são a CPI e o impeachment. Porém os trabalhadores estão saindo às ruas para dar um basta agora a situação. É preciso apostar na mobilização independente para derrotar esse projeto de precarização do país!

Veja mais:29M: Para enfrentar os ataques à educação, também é preciso ir contra o regime do golpe




Comentários

Comentar