×

9J | 5 motivos para unificar nossas lutas contra Bolsonaro e a miséria capitalista no dia 9

A União Nacional dos Estudantes (UNE) está convocando um Dia de Luta contra a PEC 206 no dia 9 de Junho. Destacamos aqui 5 motivos para organizarmos nossa mobilização.

segunda-feira 6 de junho | Edição do dia

A disposição de luta dos estudantes é um importante ponto de apoio para impulsionar um verdadeiro plano de lutas contra a PEC, os cortes e todos os ataques que Bolsonaro, o centrão e a direita aplicam contra a juventude e os trabalhadores. Nesse sentido, desenvolvemos 5 motivos para unificar nossas lutas contra Bolsonaro e a miséria capitalista no dia 9.

1 - Os cortes bilionários recentemente realizados por Bolsonaro de 3,2 bilhões do MEC e 2,9 bilhões do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, mostram seu compromisso, junto ao Congresso, em roubar o futuro da juventude brasileira, sucateando a universidade pública e descontando em estudantes e trabalhadores a crise capitalista ao justificar os cortes com a necessidade do reajuste salarial de servidores públicos. Pura demagogia para dividir a luta e nos fazer pagar pela crise! A PEC 206 defendida por militares, Bolsonaro e centrão, que prevê mensalidades nas universidades, ataca o conjunto de estudantes e ameaça o ensino público de qualidade, no qual se acentua cada vez mais a precarização das condições de permanência, principalmente da juventude negra, indígena e quilombola.

2 - Bolsonaro, militares e o conjunto desse regime podre promovem a carestia de vida, precarização do trabalho e a educação. A inflação, que pode superar os 7% em 2021, tem se dado por exemplo devido ao aumento do preço da energia. Com isso, vai se encarecendo ainda mais os custos de vida para a classe trabalhadora e o povo pobre, que vê de forma desesperadora o contínuo aumento dos preços do arroz, do feijão, da cesta básica, do gás de cozinha, da gasolina, do aluguel, entre outras coisas, no marco de cerca de 19 milhões de pessoas que vivem em situação de fome no Brasil e de 14,1% de índice de desemprego no país. Bolsonaro, Mourão e demais golpistas do regime, como STF, militares, Congresso e governadores, defendendo os interesses do agronegócio e demais setores da burguesia, seguem empurrando a classe trabalhadora e o povo pobre para a fome e para a miséria. A irracionalidade capitalista que levou a que, durante a pandemia, os dez mais ricos do mundo dobrassem as suas fortunas e surgissem 10 novos bilionários no Brasil, enquanto mais de 160 milhões de pessoas foram empurradas para a pobreza e a fome mundial aumentou em 40%, prova que não há saída por dentro desse sistema.

3 - As cenas terríveis de tortura do assassinato de Genivaldo Jesus dos Santos pela Polícia Rodoviária Federal de Sergipe escancaram qual é o verdadeiro papel da polícia, encorajada por Bolsonaro e a extrema direita. Esse não é um caso isolado, afinal pode ser visto o vídeo do cursinho AlphaCon, em que um policial instrutor ensina como torturar, improvisando uma câmara de gás na viatura da PRF. O povo negro é tratado pela polícia como corpos que podem ser assassinados, como se expressou recentemente na chacina na Vila Cruzeiro no Rio de Janeiro, com 26 mortos. Uma das maiores na história sangrenta da polícia carioca, uma das mais letais do mundo, que, desta vez, também agiu com a mesma PRF assassina de Genivaldo, mostrando ali também que está segura da impunidade no país de Bolsonaro, que defende essa corporação assassina dizendo que Genivaldo era "marginal" e que a PRF assassina faz "um trabalho excepcional". Pelo fim das operações policiais, dos tribunais militares e pelo fim da polícia!

4 - Bolsonaro fez essa declaração sobre Genivaldo em sua viagem para Recife que está sofrendo com as enchentes que já deixaram mais de 100 mortos e centenas de pessoas desabrigadas. Essa viagem foi para fazer demagogia fingindo prestar apoio a essa situação de calamidade, quando seu governo somente colocou 45% das verbas destinadas para ajudar as populações de locais de risco a evitarem essas catástrofes. Verbas que poderiam ser cruciais nessa e em outras enchentes recentes, como as de MG, Bahia e RJ. Além disso, Bolsonaro e seu governo vêm há anos atacando os direitos dos trabalhadores que vivem nessas regiões, que são majoritariamente pobres e negros, que tem suas vidas cada vez mais precarizadas. O que aconteceu em Recife é também fruto do governo de Paulo Câmara em Pernambuco e de João Campos na prefeitura de Recife, ambos do PSB. A extrema-direita, negacionista ambiental, é agente de naturalizar tragédias como essa em benefício da especulação imobiliária e dos empresários do turismo.

5 - É apenas a auto-organização de estudantes junto com os trabalhadores e a força dos setores oprimidos e do povo pobre, sem conciliar com a direita (responsável por abrir cada vez mais espaço para a ocupação militar no seio das instituições políticas, e com o Alckmin, organizador de chacinas, responsável por Pinheirinho e Paraisópolis), que é capaz de enfrentar e derrotar Bolsonaro e todos os autores dos ataques. Nossos inimigos estão unificados em nos atacar, então nós temos que nos fortalecer.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias