Educação

REPRESSÃO POLICIAL

Guarda Municipal reprime e prende estudantes da UFRGS em ato contra ministro de Bolsonaro

Protesto ocorria contra a visita do ministro da educação, Milton Ribeiro, e os cortes na educação pelo o governo Bolsonaro. O ministro recebeu a manifestação pacífica com a Guarda Municipal que reprimiu com bombas, balas de borrachas e gás de pimenta. 2 estudantes foram detidos.

quarta-feira 12 de maio| Edição do dia

Nesta quarta, 12 de maio, estudantes e militantes do coletivo Juntos, e membros do DCE da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, foram reprimidos violentamente pela Guarda Municipal de Porto Alegre durante protesto pacífico contra a visita do ministro da educação, Milton Ribeiro, que se encaminhava a uma entrevista para a rádio Guaíba. A polícia cumpriu novamente seu papel de cão de guarda agredindo e reprimindo os estudantes.

O protesto denunciava a ameaça de cortes nos orçamentos para as universidades federais que o governo Bolsonaro quer impor. Com essas cortes universidades como a UFRJ estão ameaçadas de serem fechadas com esse corte.

Veja aqui: Universidades federais podem fechar até julho após corte bilionário do Governo Bolsonaro

Frente a esta manifestação, o ministro bolsonarista chamou a Guarda Municipal para reprimir os estudantes que protestam contra mais um ataque de Bolsonaro à educação. A repressão foi violenta com gás de pimenta, bombas, e tiros de borracha a queima roupa. Foram presos 2 militantes e uma precisou ser encaminhada ao hospital.

Veja os vídeos abaixo:

Repudiamos totalmente essa repressão e toda a violência policial que é elogiada por esse governo de extrema direita do Bolsonaro que aplaude massacres como foi o de Jacarezinho no Rio de Janeiro

Talvez lhe interesse: UFRGS: Todos ao ato do dia 13/05 contra o racismo e por justiça às vidas negras!




Tópicos relacionados

Rio Grande do Sul   /    Bolsonaro   /    Guarda Municipal   /    MEC   /    UFRGS   /    Porto Alegre   /    Violência policial   /    Educação

Comentários

Comentar