Economia

CINISMO

Após dar bilhões para bancos, Guedes afirma que aumentar o salário gera desemprego

Paulo Guedes, que é ministro da economia e braço direito dos ataques implementados por Bolsonaro e Mourão, afirmou nesta terça feira (01/09) em uma reunião do Congresso Nacional que aumentar o salário é aumentar a taxa de desemprego.

quarta-feira 2 de setembro| Edição do dia

"Hoje, se você der um aumento de salário mínimo, milhares e talvez milhões de pessoas serão demitidas. Estamos no meio de uma crise terrível de emprego. Dar aumento de salário é condenar as pessoas ao desemprego" 
- Fonte (Estadão)

Acontece que o salário mínimo é ajustado diretamente pelo valor da inflação que atinge o país no ano anterior (%inflação 2019 = ajuste salário 2020) . Hoje o salário mínimo é de R$1.045 e a proposta aprovada para 2021 era de R$1.079, porém, a redução feita por Guedes é para R$1.067 por conta da análise da inflação do ano atual.

Paulo Guedes não quer que aconteça uma redução do lucro dos empresários para o aumento do salário dos trabalhadores. Sua politica neoliberal prefere o lucro e a morte de mais de 120 mil pessoas pela pandemia para garantir a fortuna dos empresários e a manutenção do pagamento da dívida pública, que é um mecanismo de crédito e juros que são estabelecidos entre os empresários de cada país, gerando dívidas internacionais que são religiosamente pagas com as arrecadações do estado - traduzindo: diretamente do suor dos trabalhadores, seus salários e precarização da vida.
 
O orçamento nacional dedicado para a dívida pública é de 50,7% (R$1,927,7 bilhões), ou seja, metade das riquezas nacionais são distribuídas entre rolagem, juros e amortizações que apenas aumentam as mesmas dívidas com taxas de juros enormes para o próximo ano, como um loop de saqueio as contas públicas de forma consciente pelos governos.

O desemprego bate 13% e ainda assim os ministros em sua reunião, com a ajuda do STF, aprovam deliberadamente ataques e demissões rifando as estatais e milhares de empregos, o que se contrapõe com uma resposta direta que os trabalhadores podem dar mediante essa crise, que é a auto organização desde os postos de trabalho.
 
Essa organização pode dar conta de reduzir a carga horária de trabalho sem reduzir o salário, aplicando diretamente a redução de lucros do patrão e redistribuindo o lucro entre todos os trabalhadores do local. Também é possível combater o desemprego: com a redução da jornada de trabalho pela metade, abrem-se janelas de horários e um trabalhador demitido pode ser readmitido, pelo mesmo salário; E ainda é possível ir além, definindo as prioridades para onde o seu trabalho é destinado, é possível converter as economias do país para combater o coronavírus, transformando montadoras de carros em montadoras de respiradores ou mudando o destino do orçamento da empresa que sustenta a dívida pública para a ciência e avanço da pesquisa contra o vírus. transformando assim o discurso (e seus governos) dos liberais em uma mera condição a ser superada pelos trabalhadores. 




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Ajustes Fiscais   /    Economia

Comentários

Comentar