Juventude

COMITÊ UNB PELA VACINAÇÃO

UnB: Por uma campanha de vacinação imediata dos trabalhadores linha de frente

Hoje, dia 29, foi lançado o Comitê UnB pela Vacinação, iniciativa criada em conjunto pelo DCE Honestino Guimarães, o SINTFUB e a ADUnB. Nós da Juventude Faísca Anticapitalista e Revolucionária estivemos presentes, reivindicando o novo espaço criado e defendendo a necessidade de uma aliança entre os estudantes, professores, técnicos e terceirizados para forjar na UnB um polo de resistência contra o negacionismo de Bolsonaro, mas também contra toda a demagogia e interesses de Dória, Maia, Ibaneis, STF e todo o regime golpista - nenhum desses atores tem um plano racional, universal e público de vacinação, diante de uma gestão da pandemia das mais catastróficas do mundo.

sexta-feira 29 de janeiro| Edição do dia

Hoje, 29, foi lançado o Comitê UnB pela Vacinação, iniciativa impulsionada pelos organismos dos três setores da UnB: DCE, representante dos estudantes; SINTFUB, representante dos técnico-administrativos e terceirizados; ADUnB, representante dos professores.

Nós da Juventude Faísca Anticapitalista e Revolucionária estivemos presentes na plenária de hoje, partindo de reivindicar esse novo espaço de debate com capacidades de fomentar amplos debates democráticos entre a comunidade acadêmica.

Diante de uma das gestões mais catastróficas da pandemia mundialmente, torna-se fundamental construir na UnB, uma das melhores universidades da América Latina - capaz de criar máscaras especiais que matam o vírus, desenvolve potencial tratamento para a COVID-19 e possui ultra-congeladores para armazenamento das vacinas - um verdadeiro polo de resistência à não-política sanitária de Bolsonaro, mas também da gestão igualmente racista e anti-operária de Dória, Ibaneis, Maia, STF e de todo regime golpista.

Em nenhum estado brasileiro, em meio à catástrofe de Manaus, da nova cepa da COVID-19, incluindo o DF de Ibaneis, existe um plano racional de distribuição e imunização universal da população. Mesmo em São Paulo, terra do suposto “paladino da vacina”, o milionário João Dória, os trabalhadores da linha de frente continuam sem vacina - como é o caso dos trabalhadores do HU da USP, que estão paralisados até que todos sejam vacinados.

Veja a seguir a intervenção de Luiza Eineck, estudante de Gestão de Políticas Públicas na UnB e membra da Juventude Faísca na UnB:

Como encaminhamento da reunião, nós da Faísca propusemos na reunião as seguintes pautas, que aqui divulgamos publicamente:

1 - Campanha de fotos pela VACINAÇÃO PARA TODOS JÁ;

2 - Ato unificado dos 3 setores pelo direito à vacinação de todos os trabalhadores da UnB da linha de frente imediatamente (terceirizados, HUB) ou liberação dos mesmos com remuneração e sem nenhuma perda de direitos.

Além disso, durante a reunião, foi apresentado um Manifesto feito previamente pelo Comitê, mas que ainda não foi divulgado. Em linhas gerais, o Manifesto trata sobre a necessidade fundamental de batalhar pela vacinação da população, visto que não há um plano de imunização por parte do governo federal e também do DF. Assim que o Manifesto for divulgado, nós do Esquerda Diário nos dispomos a compartilhá-lo e divulgá-lo.

Por fim, demarcarmos que é fundamental que as reuniões e decisões do Comitê sejam amplamente divulgadas, bem como um chamado amplo e sistemático aos estudantes, desde de cada CA; dos professores e trabalhadores da universidade para a participação nesse espaço, a fim que seja o mais amplo e democrático possível. Da mesma forma, é imprescindível a divulgação ampla do Manifesto do Comitê e sua abertura para adendos e contrapropostas da comunidade acadêmica.

Diante das propostas de colocarem o Comitê favoravelmente ao impeachment de Bolsonaro, nós da Faísca propusemos o adendo ao manifesto da consigna FORA BOLSONARO E MOURÃO, no sentido de remarcar que nossa luta tem que ser para tirar Bolsonaro, mas não só ele e sem se aliar com nossos inimigos de classe.

Uma vez que a política do impeachment é o equivalente à colocar Mourão na presidência, desviar a fúria das ruas contra o genocídio e incompetência do governo para realocar o regime do golpe institucional, se unindo com Huck, Dória e Maia, precisamos de outra alternativa. Nós da Faísca entendemos que apenas a mobilização e organização da classe trabalhadora, dos estudantes e todos os oprimidos, na luta de classes, contra o regime do golpe institucional de conjunto, batalhando pela imposição pela luta de uma Assembleia Constituinte livre e soberana - que revogue todas as reformas contra a educação como a Lei Orçamentária Anual, a lei do Teto de Gastos, além do não pagamento da fraudulenta dívida pública - pode responde aos problemas estruturais mais gritantes da classe trabalhadora brasileira.

Para saber mais sobre o porque defendemos uma Assembleia Constituinte livre e soberana, leia aqui:

Contra Bolsonaro e Doria, batalhemos pela disponibilização universal da vacina

A urgência do combate ao regime do golpe

Sobre as manifestações contra Bolsonaro, dia 1/2: por uma política independente dos golpistas

Para participar do Comitê, basta se inscrever por meio do formulário disponível neste link: https://forms.gle/8b1W5LAKwNVQg61G8.

Para participar da campanha de fotos, envie sua foto para o email: [email protected]

PELA DISPONIBILIZAÇÃO UNIVERSAL DA VACINA!
FORA BOLSONARO E MOURÃO!




Tópicos relacionados

Vacina contra a covid-19   /    UnB   /    Universidade de Brasília   /    Brasília   /    Juventude

Comentários

Comentar