RIO GRANDE DO NORTE

Servidores em greve protestam contra "pacote da morte" na Assembleia Legislativa do RN

terça-feira 30 de janeiro| Edição do dia

Hoje, 30, data da votação do chamado "pacote da morte" do governador do Rio Grande do Norte Robinson Faria (PSD), a Assembleia Legislativa do RN amanheceu com protesto contra o plano de ajuste que o governo quer implementar contra os trabalhadores. Os servidores realizaram uma manifestação em frente a ALRN formando um cordão humano que buscava impedir entrada dos deputados para a votação.

Repudiamos qualquer repressão por parte a da polícia a mando de Robinson Faria contra os trabalhadores que exigem o elementar, que o governo atenda às reivindicações da greve e pague os salários que deve.

Veja aqui: Servidores em greve precisam vencer: pelo não pagamento da dívida estadual para satisfazer todas as demandas

Entre os ataques que o governo pretende deferir contra os trabalhadores está a extinção dos adicionais por tempo de serviço, abono especial, previdência complementar, diária operacional para a área de segurança, desvinculação de reajustes de pensões dos índices do INSS.

No Rio Grande do Norte, os servidores estaduais da saúde e da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte estão em greve há mais de 70 dias. Suas exigências são o pagamento imediato dos salários atrasados e do 13o.

Estes ataques contra os trabalhadores buscam fazer com que em especial servidores públicos paguem as contas da crise instaurada não gerada por eles mesmos, o que já fazem há 23 meses nos quais os salários são atrasados sistematicamente. Estas são a contrapartida com o governo golpista de Temer para que o estado entre no Plano de Recuperação Fiscal, ou seja, ataques combinados estadual e nacionalmente.

VEJA TAMBÉM
- A luta dos servidores da saúde e da UERN precisa vencer!
- Servidores do Rio Grande do Norte fazem greve e protestam por seus salários

Enquanto estes querem inchar a dívida estadual garantindo a estabilidade dos banqueiros, precisamos cercar a luta dos trabalhadores da saúde e da educação de solidariedade, defendendo que qualquer redução salarial ou demissão seja proibida e a dívida estadual deixe de ser paga, para que apliquemos impostos progressivos às grandes fortunas como do próprio Flávio Rocha, assim como a expropriação imediata dos bens de Henrique Alves (PMDB) cujo envolvimento na corrupção em esquemas do Arena das Dunas já é comprovada, para que com este dinheiro se paguem os salários atrasados.




Tópicos relacionados

Servidores Públicos   /    Rio Grande do Norte   /    Nordeste   /    Greve

Comentários

Comentar