Política

GOVERNO BOLSONARO

Sergio Moro vaza dados sigilosos para Bolsonaro sobre laranjal do PSL

sexta-feira 5 de julho| Edição do dia

Apagado pela grande mídia até hoje, fala de Bolsonaro durante sua viagem ao G20 no Japão mostra que o ministro Sergio Moro vazou dados sigilosos do inquérito aberto sobre os candidatos laranjas do PSL durante as eleições de 2018. Durante entrevista coletiva, no dia 28 de junho, o presidente afirma com todas as letras: “Ele [Moro] mandou a cópia do que foi investigado pela Polícia Federal pra mim. Mandei um assessor meu ler porque eu não tive tempo de ler”.

Segundo jornalista da Folha de S. Paulo, que primeiro divulgou o “deslize” de Bolsonaro, a investigação tramita sob segredo na 26ª Zona Eleitoral de Minas Gerais. Para além da óbvia ilegalidade do caso, onde se torna absurdo o presidente ficar sabendo de dados sigilosos referentes ao seu partido durante a eleição em que foi eleito, Bolsonaro foi além: ele “determinou” que Moro orientasse a Polícia Federal a “investigar todos os partidos”. Nas palavras do próprio presidente: “Determinei à PF que investigue todos os partidos onde candidatas receberam quantidades enormes e tiveram votos mínimos. Tem que valer para todo mundo. Não ficar fazendo pressão em cima do PSL para tentar me atingir”..

A questão que motivou Bolsonaro a abrir o jogo foi que um assessor especial do Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), havia sido preso no dia anterior, 27 de junho, por conta de candidaturas laranjas em Minas Gerais. O assessor era Mateus Von Rondon e foi detido em Brasília, junto a um dos coordenadores de campanha do Ministro. A investigação é sobre falsidade ideológica eleitoral, emprego ilícito do fundo eleitoral e associação criminosa..

Esse e tantos outros casos envolvendo o presidente e o atual ministro da justiça, Sergio Moro, escancara a hipocrisia do governo em combater a corrupção, bem como os conluios ilegais organizados em função dos interesses próprios de Bolsonaro e do próprio PSL. Tudo isso a fim de aprovar as medidas de ataque aos trabalhadores e a população pobre, através da reforma da previdência e outras.

Os vazamentos das mensagens que estão sendo realizados pelo The Intercept, no entanto, não é método pelo qual vamos derrotar o autoritarismo judiciário. Nós do Esquerda diário já alertamos aqui e aqui que o intercept não é uma mídia independente da classe trabalhadora e da juventude, mas que inclusive está aliada com mídias burguesas como Veja e Folha de SP, e assim como elas, concorda com a reforma da previdência que vai nos fazer trabalhar até morrer.




Tópicos relacionados

VazaJato   /    Governo Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    Sérgio Moro   /    Política

Comentários

Comentar