×

Fechamento das bilheterias | Bilheterias fechadas e máquinas de autoatendimento sem funcionar: o Metrô de Doria e Baldy

Ontem, dia 8/10, foi o começo do plano de Doria/Baldy de fechamento das cabines de recarga do bilhete único e venda de bilhete QR Code para acesso ao transporte metro-ferroviário, que ameaça centenas de empregos e precariza o transporte. Atrasos e transtornos marcaram o dia de trabalhadores e da população que se deparou com as cabines de fechadas e as máquinas de autoatendimento defeituosas.

sábado 9 de outubro | Edição do dia

A estação Belém foi a primeira estação do metrô de São Paulo a fechar suas cabines de recarga de bilhetes, e trabalhadores e populares se indignaram ao se depararem hoje com as máquinas de autoatendimento, que deveriam substituir os trabalhadores das cabines, cheia de defeitos, causando atraso e transtorno à população que precisava pegar o Metrô e que já paga caro na passagem.

"As bilheterias estavam fechadas e uma das máquinas de autoatendimento já estava com problema. As máquinas só aceitavam cartão de débito. O ponto de referência indicado pelo Metrô para compra de bilhete fora da estação, na rua, estava sem sistema, e além disso esta loja estava sem nenhum suporte técnico da empresa que presta o serviço, e causou aglomeração e filas. Já nas catracas da estação houve muita reclamação porque os passageiros não conseguiam comprar suas passagens, chegando ao ponto de ter passageiro que ficou por 2h na estação esperando a abertura da bilheteria para comprar sua passagem porque não tinha condições de comprar bilhete em outro lugar que não na bilheteria. É um sistema muito falho, que não está pensando nos passageiros, acarretando muito stress e transtorno para todos os trabalhadores", disse uma trabalhadora ao Esquerda Diário.

A situação ocorrida na estação Belém antecipa uma situação que se aprofundará ainda mais a partir do dia 15 deste mês se de fato o governo decidir fechar todas as as cabines de recarga do Metrô e da CPTM.

A questão é que, como declarou diversas vezes Doria e Baldy, a intenção é o corte de gastos cuja previsão é economizar 100 milhões de reais por ano. Todo esse dinheiro será retirado do bolso de centenas, talvez milhares de trabalhadorxs terceirizadxs que, de acordo com o próprio governo, não têm garantia de serem realocados em outros postos de trabalho.

O primeiro passo foi a privatização das bilheterias do metrô, quando passaram a ser operadas por empresas terceirizadas que pagam salários de fome a seus trabalhadores, que sob constante assédio de suas chefias trabalham em ambientes insalubres e precários que não lhes garantem a mínima segurança, tendo muitas vezes que pagar de seus próprios salários por falhas de equipamentos com descontos indevidos.

Doria, que busca se alçar como terceira via para a presidência em 2022, se apresentando como oposição racional ao Bolsonaro, demonstra mais uma vez que está ao lado do governo federal quando o assunto é atacar a população e os trabalhadores precarizando ainda mais os serviços prestados à população e acabando com postos de trabalho justamente nesse momento em que cada vez mais a fome, a carestia de vida e o desemprego golpeiam cada vez mais.

A "economia de gastos" que busca o governo do estado na verdade é parte do plano privatizador do PSDB e da burguesia nacional de cada vez mais transferir recursos do estado para os capitalistas que exploram os trabalhadores aos moldes da reforma trabalhista e de todos os ataques promovidos pelo governo Bolsonaro e apoiados por Doria.

Esse é o retrato não só do Metrô, mas das condições de vida que quer oferecer Doria e Baldy à população de São Paulo. Além disso, é um recado a todos aqueles que acreditam que Doria seja um aliado na luta contra Bolsonaro, que demonstra claramente que quer mais ataques e precarização das condições de vida da população.

Os trabalhadores do Metrô de SP, da CPTM, xs trabalhadorxs terceirizadxs das cabines de recarga e a população precisam lutar unificados para barrar mais esse ataque, garantindo a manutenção de centenas ou até milhares de empregos e a qualidade dos serviços prestados à população.

ASSINE E DIVULGUE A PETIÇÃO CONTRA O FECHAMENTO DAS BILHETERIAS DO METRÔ DE SP E DA CPTM AQUI

Veja mais em:
- Doria quer fechar as bilheterias do Metrô e CPTM e aumentar precarização e desemprego
- Manifestação contra o fechamento das bilheterias do Metrô e da CPTM ocorreu hoje na estação Belém
- 5 motivos porque Doria não é aliado dos metroviários contra Bolsonaro




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias