Política

JULGAMENTO LULA

Alckmin, ladrão de merenda impune, declara sobre julgamento: "ninguém está acima da lei"

Geraldo Alckmin, atual Governador pelo estado de São Paulo, resolveu comentar em seu Twitter o julgamento do Ex- presidente Lula pelo TRF-4 que ocorre hoje a cidade de Curitiba. Na sua rede social Alckimin declarou que a decisão quanto ao julgamento de Lula "cabe a justiça", e que "ninguém está acima da lei".

Isabela Santos

Estudante de Serviço Social da UERJ e coordenadora do Centro Acadêmico de Serviço Social da UERJ - CASS

quarta-feira 24 de janeiro| Edição do dia

O governador que frequentemente conta com ajuda de sua base aliada na ALESP para enterrar pedidos de CPI’s envolvendo escândalos de corrupção na sua gestão foi as redes sociais para posar de neutro enquanto assiste, graças a impunidade dessa mesma justiça burguesa que hoje quer decidir quem pode se candidatar no país, o julgamento arbitrário do Ex-presidente.

Alckimin, que enfrentou no seu governo a força da juventude com as ondas de ocupações nas escolas, disse que vai "enfrentar e derrotar o PT, seja quem for o candidato". Porém, esqueceu de dizer que só concorrerá as eleições pois segue impune do escândalo da merenda escolar ou de qualquer investigação dos mais de 10 bilhões desviados pelo cartel do metro dos cofres públicos de São Paulo entre os anos de 2004 e 2015.

Alckimin busca usar o Julgamento politico de Lula para fazer sua campanha rumo a presidência. Tal qual a grande mídia busca uma "neutralidade" diante do processo. O avanço das arbitrariedades do judiciário, porém, não é neutro. É continuidade do golpe institucional que veio para acelerar os ataques aos direitos da classe trabalhadora e que agora, por meio do judiciário golpista, busca decidir em quem o povo terá o direito de votar. Mesmo que este condenado seja Lula, cujo projeto de governar o capitalismo é o oposto do que um projeto capaz de derrotar as reformas e os golpistas, o mínimo direito do povo poder decidir em quem vai votar deve ser preservado.




Tópicos relacionados

Julgamento de Lula   /    Alckmin   /    Política

Comentários

Comentar