Política

ELEIÇÕES EM SÃO PAULO

10 motivos para votar em Diana Assunção para vereadora em São Paulo

Diana Assunção é candidata do MRT pelo PSOL com numero 50200

sexta-feira 30 de setembro| Edição do dia

1- A candidatura da Diana foi a única que pautou com centralidade a luta contra a censura da esquerda, por democracia de verdade com direito a que as candidaturas da esquerda e dos trabalhadores possam ter espaço garantido para divulgar suas ideias na televisão, participar dos debates, aparecer nos veículos da imprensa etc. Sem isso, não existe democracia de verdade.

2- Diana luta contra os privilégios dos políticos, que fazem carreira servindo aos interesses dos patrões e em troca enchem seus bolsos. O salário de R$ 15 mil reais de um vereador, fora as verbas de gabinete que somam mais de R$ 22 mil por mês, e ainda a contratação de 17 assistentes parlamentares por mandato gera uma série de privilégios que tornam os políticos uma casta de privilegiados, com condições de vida totalmente diferentes do trabalhador médio. Por isso, não apenas Diana irá continuar recebendo seu salário de trabalhadora nível básico da USP se for eleita, doando o restante para um fundo de apoio às lutas dos trabalhadores e movimentos sociais, mas também irá lutar com afinco por uma lei que estipule que todo político ganhe o mesmo salário que uma professora do ensino básico – uma categoria fundamental que recebe um salário muito abaixo do mínimo essencial. Ela também defende que todos os mandatos sejam revogáveis, ou seja, acabar com a “carta branca” por 4 anos dos mandatos parlamentares. Se os eleitores decidirem, o mandato acaba antes.

3- Diana luta contra o governo golpista de Temer e todos os ataques que eles querem fazer para aprofundar ainda mais o que o PT já vinha fazendo em nome dos patrões, tentando descarregar sobre os ombros dos trabalhadores e da população mais pobre os custos de uma crise que foi criada pelos capitalistas. Por isso, participa das lutas e exige das centrais sindicais como CUT e CTB a organização de uma greve geral contra os ataques, como a reforma da previdência e trabalhista. Defende uma lei que proíba as demissões e o estabelecimento do salário mínimo do DIEESE de R$3.991,40. E também defende uma Assembleia Constituinte baseada na mobilização dos trabalhadores, onde possamos lutar por uma Constituição que atenda nossos interesses de fato.

4- Pela defesa da educação em São Paulo. Diana luta pela taxação às grandes fortunas para que se possa criar imediatamente creches para atender toda a demanda que existe no município. Pela estatização de todas as creches privadas que foram contratadas pelo programa “Mais Creches” de Haddad, para que se possa garantir a qualidade de seu serviço e a garantia de boas condições de trabalho para os educadores. Para os educadores, bem como para os demais trabalhadores, Diana defende a estipulação do salário mínimo designado na Constituição, calculado pelo DIEESE em R$ 3991,40. Bem como o limite de 20 alunos por sala e a destinação de metade da carga horária dos professores para atividades extra-classe.

5- Para defender a saúde, Diana quer acabar com a privatização que vem ocorrendo por meio das Organizações Sociais de Saúde (OSS), que levam os hospitais privados como Albert Einstein e Sírio Libanês a embolsarem as verbas públicas. Ela defende o contrário: taxação às empresas privadas de saúde, como hospitais particulares, planos de saúde, laboratórios farmacêuticos e grandes redes de farmácias para destinar a verba à saúde pública. Contra o “Corujão” de Dória, que quer mandar os pobres de madrugada para os hospitais com mais privatização contratando hospitais particulares, Diana luta em defesa da saúde pública e contra o desmonte de hospitais, como vem ocorrendo com o Hospital Universitário da USP.

6- Para garantir moradia para todos, Diana defende a expropriação dos imóveis desocupados destinados à especulação imobiliária para a criação de moradia popular imediatamente. A taxação das mansões e grandes propriedades para um plano de obras públicas para criação de moradias populares e obras contra as enchentes que destroem as casas dos trabalhadores. Empréstimos com taxa zero para os que querem comprar sua casa. Anistia para as famílias trabalhadoras endividadas pelo aluguel e uma lei de controle dos preços dos aluguéis. E pelo estabelecimento dos serviços públicos nos bairros periféricos.

7- Para um transporte de qualidade e acessível, Diana defende a estatização das empresas de ônibus sob controle popular, com a criação de um plano de mobilidade urbana feito pelos trabalhadores do transporte em parceria com os usuários, e assessoria de técnicos contratados pelo poder público. Taxação dos carros de luxo, helicópteros, jatos particulares, iates e outros transportes de luxo para destinar dinheiro ao transporte público. Instituição do passe livre universal no município e ampliação dos corredores de ônibus e linhas 24 horas.

8- Para lutar contra o racismo, Diana defende a igualdade salarial entre negros e brancos. Pela efetivação de todos os trabalhadores terceirizados, em sua imensa maioria mulheres negras; que elas tenham iguais direitos e salários dos trabalhadores efetivos. Defende as cotas raciais e o fim do vestibular, para que todos os negros tenham acesso à educação em todos os níveis. Defende que o município garanta emprego, moradia e plenos direitos civis e trabalhistas aos imigrantes haitianos.

9 – Contra o machismo e a violência às mulheres, Diana defende a criação de um plano de emergência para mulheres em situação de violência, com lares transicionais para que possam sair de suas casas, subsídio financeiro e assistência para reinserção no mercado de trabalho; licença trabalhista remunerada e dos locais de estudo também quando necessário, garantindo o acompanhamento de professores em suas casas. Ela defende o fim da dupla jornada de trabalho, acabando com o pagamento da dívida pública para criar não apenas creches, mas lavanderias e restaurantes públicos para a população. Por educação sexual, acesso a pílulas anticoncepcionais e outros métodos contraceptivos gratuitamente e de qualidade para prevenir a gravidez não planejada, e a legalização do aborto garantido pelo SUS para acabar com as mortes por aborto clandestino. Defende uma lei da igualdade salarial entre homens e mulheres. A criminalização da violência obstétrica que ocorre nos hospitais e a garantia de parteiras, obstetrizes e doulas nas maternidades, acabando com a imposição da cesárea. Por uma lei que estipule um mínimo de 50% para as mulheres em todos os cargos políticos.

10- Contra a discriminação contra lésbicas, gays, bissexuais e trans (LGBTfobia), Diana defende a garantia de todos os direitos para essa população, como cotas obrigatórias nos empregos para acabar com a discriminação, direito ao casamento e adoção, direito à mudança de nome e ao tratamento hormonal e cirurgia de transgenitalização pelo SUS para as pessoas trans, criminalização da LGBTfobia, educação sexual e de gênero não heteronormativa em todos os níveis educacionais.

Para saber outros pontos do programa de Diana, clique aqui!




Tópicos relacionados

Diana Assunção #UmaVozAnticapitalista   /    Eleições 2016   /    Política

Comentários

Comentar