AGENDA DE REFORMAS

Temer tentará convencer ser o nome das odiadas reformas e abafar a denúncia contra ele

segunda-feira 17 de julho| Edição do dia

Em meio ao recesso parlamentar, que tem início amanhã e seguirá por duas semanas, a equipe de governo de Temer afirmou que buscará fortalecer o seu discurso de retomada das discussões das reformas, como a odiada Reforma da Previdência, assim como tirar a denúncia contra ele da agenda política da Câmara, com perspectivas de adiá-la para setembro.

A intenção da equipe é além fortalecer o lado do governo na votação da denúncia de corrupção passiva na Câmara de Deputados, hoje bastante incerta, e com isso combater as incertezas em torno da capacidade de Temer de se manter para aprovar as demais reformas da agenda de ataques aos direitos dos trabalhadores.

A votação da denúncia está agendada para o dia 02 de agosto, mas os planos do governo é adiá-la para setembro, apesar da resistência do presidente da Câmara e sucessor direto de Temer, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

As intenções de Temer são de reaproximar setores do empresariado e de investimentos para que sigam confiando em seu governo como o "reformista" contra os direitos dos trabalhadores que necessitam para aprovar reformas como a tributária e a da Previdência. Essa última precisará ser rediscutida, enquanto a tributária precisaria ser "destravada". Da mesma forma que a Reforma Trabalhista aprovada na última semana foi uma medida que reduz ao mínimo o número e a qualidade dos direitos trabalhistas, essas e outras reformas tem a intenção de colocar na conta do trabalhador a crise em que vivemos.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Michel Temer

Comentários

Comentar