Política

CRISE NO RIO

Temer arrestou 8,4 bilhões do estado do Rio para a Dívida Pública em 2016, segundo TCE

quarta-feira 31 de maio| Edição do dia

No total, União arrestou 8,4 bilhões de reais do Estado do Rio de Janeiro para pagar a Dívida Pública. Os dados são do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, no mesmo parecer que rejeita a prestação de contas do governo Pezão-Dornelles. O parecer foi enviado para análise pela Assembleia Legislativa do Rio, a ALERJ, porém, sequer analisou as contas de 2015.

Este dinheiro, que poderia ter sido usado para pagar os salários que continuam atrasados desde 2016, os aposentados e inativos, comprar remédios e melhorar os atendimentos nos hospitais, foi utilizado para pagar a Dívida Pública, que acumula 3,244 trilhões de reais.

Quem ganhou com isso foram os especuladores, banqueiros nacionais e internacionais que detém os títulos da Dívida e tem seu lucro baseado no saque das contas públicas, em uma operação que é uma verdadeira fraude contra os trabalhadores.

O Estado do Rio de Janeiro também passa por forte crise política, com 5 conselheiros do tribunal de contas cassados depois de delação de Jonas Lopes. Pezão, no entanto, segue governando e atacando, mesmo depois de se saber que teve a campanha financiada com 20 milhões dados pela JBS em troca de uma fábrica dada de presente aos irmãos Joesley por Cabral. A estratégia de se esperar pelo impeachment ou pela cassação tem se demonstrado uma verdadeira derrota por parte de setores da oposição.

Este fato o Esquerda Diário e o Movimento Revolucionário dos Trabalhadores denunciou em uma campanha pelo não pagamento da Dívida Pública.

Este flagrante mostra que, apesar de secundarizada pelos sindicatos dos servidores do estado do Rio, a unidade entre os servidores do estado com outras categorias por um movimento nacional pela derrubada das reformas e de Temer, é a única saída para a crise do Rio. Afinal, além dos políticos nacionais segurarem Pezão que é inúmeras vezes blindado de suas cassações enquanto for mandante dos ataques da União, o governo Federal, por sua vez, vem aplicando um plano ataques para transformar o Rio de Janeiro em uma nova Grécia.

Seja com os ataques que já sofremos como privatização da CEDAE, o alto índice de desemprego, cortes nos serviços públicos e alteração da previdência para fazer o servidor pagar mais. Podemos derrotar Temer e Pezão com uma greve geral que deve ser exigida das Centrais Sindicais, e os parlamentares do PSOL, os sindicatos da esquerda e as organizações operárias podem fazer isso. Uma greve geral para derrubar as reformas e o governo pode anular todos os ataques e impor o não pagamento da dívida pública avançando para impor uma assembleia constituinte livre e soberana que elimine toda a casta de políticos corruptos e coloque os trabalhadores e o povo para fazer as leis.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar