Política

PRÉ-SAL

Senado aprova divisão de recursos do megaleilão do Pré-Sal

Na noite de ontem (15), o senado aprovou, de forma unânime, o texto-base do projeto que regulamenta a divisão dos recursos do leilão do pré-sal da Bacia de Campos, entre União, estados e municípios.

quarta-feira 16 de outubro| Edição do dia

Com o discurso de usar os recursos para pagar despesas previdenciárias, o governo entrega de bandeja os campos de petróleo às empresas imperialistas. São esperados cerca de 8 bilhões de barris vendidos. O que na cotação atual daria quatro vezes mais do que o previsto para ser arrecadado, no leilão marcado para o dia 6 de novembro.

A votação, que foi em regime de urgência, dado que é preciso ser votada ainda no mesmo Senado a "reforma das reformas", a da previdência, decidiu que a União ficará com 67%, e os estados e municípios com 15% cada um, mais um adicional de 3% ao estado do Rio de Janeiro.

Não bastou o ataque brutal aos trabalhadores com a Reforma da Previdência. O governo Bolsonaro vai privatizar e entregar cada vez mais cada recurso natural que possuímos. As gigantes empresas do estrangeiro agradecem.

O Esquerda Diário já em junho denunciava tal cenário. O processo de leilão do pré-sal, iniciado no governo Dilma, foi aprofundado no governo Temer, com 5 leilões em dois anos. Agora, Bolsonaro promete a maior remessa de vendas da história. Mostrou ao que veio: aprofundar os ataques para jogar a crise nas costas da classe trabalhadora.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Senado   /    Política

Comentários

Comentar