Educação

NATAL-RN

Professores de Natal chamam ato junto a comunidade

Os professores da E.M. Berilo Wanderley que fica no bairro das Quintas, convidam outros professores e toda a comunidade escolar a participar de um ato que acontecerá amanhã (12), a partir das 13 horas em frente à escola e em apoio à greve dos professores municipais de Natal e também da rede estadual do Rio Grande do Norte.

quarta-feira 11 de abril| Edição do dia

Foto: Ato da E.M. Prof. Bernardo Nascimento

A categoria está em greve desde o último dia 21/03 denunciando os desmandos do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) e do governador, Robinson Farias (PSD), Os professores municipais exigem o aumento de 6,81% referente à equiparação com o piso nacional da categoria que deveria ter sido pago em Janeiro deste ano conforme previsto pela lei aprovada pelo próprio prefeito que, cinicamente promete fazer o pagamento apenas a partir de junho.

O sistema de evolução da carreira dos professores também está desatualizado, com a prefeitura se negando a reconhecer o direito de incremento dos salários pro tempo de serviço ou por apresentação de títulos. Além disso, a prefeitura ainda suspendeu o pagamento da carga suplementar de 20% referente aos dias de planejamento que é cumprido nas escolas mas, diante da forte greve que se fortalece, publicou em Diário Oficial na última semana uma lista com os nomes de alguns profissionais que receberiam o valor referente aos dias à partir de Fevereiro. Os professores, no entanto denunciam que nenhum pagamento foi feito ainda.

Não bastasse o descaso com a carreira dos profissionais da educação, ainda chovem denúncias das péssimas condições de trabalho e aprendizado nas escolas de Natal, problemas que vão da infraestrutura precária até a falta de funcionários para auxiliar crianças com necessidades especiais.

Movimento Nossa Classe - Educação apoia a greve dos professores do RN

Não é de hoje que a situação é de crise em todo o estado do Rio Grande do Norte, uma crise que não foi criada pelos trabalhadores mas que o governo estadual e municipal se esforça para que sejamos nós que paguemos a conta. O caos não se reduz apenas à educação, mas todos os serviços públicos mais básicos da população, sofrem com o completo abandono por parte dos governantes que dizem não ter dinheiro mas que continuam a garantir as verbas para o pagamentos da dívida pública que são, principalmente, juros à serem pagos para banqueiros. Sem falar nos rios de dinheiro que desaparecem dos cofres públicos pela corrupção, como o caso de Henrique Alves (parente do atual governador do estado) durante a construção do estádio Arena das Dunas.

Mesmo diante de um quadro tão grave os professores de Natal e de todo o estado do Rio Grande do Norte podem vencer, como já foi demonstrado recentemente os professores do Amazonas que conquistaram com uma forte greve um aumento de 27%, além do exemplo dos professores municipais de São Paulo, que encabeçaram a luta de todo o funcionalismo da cidade contra o prefeito João Doria (PSDB), uma dos principais figuras do golpismo no país, e sua tentativa de reforma da previdência que é considerada "a mãe de todas as reformas" pelos grandes empresários. Além da unidade entre professores do Município e de todo o Estado é preciso que a greve seja construída e levada a frente em cada escola e em cada bairro através de comandos de greve e assembleias onde todos os professores tenham direito a voz para decidir os rumos da própria luta.




Tópicos relacionados

Natal   /    Educação   /    Professores   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar