Política

TRAGEDIA EM MG-ES

Por uma grande campanha pela reestatização da Vale sob controle dos trabalhadores

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

quarta-feira 9 de dezembro de 2015| Edição do dia

Passado mais de um mês da tragédia em Mariana - MG, o Brasil sente os impactos da maior tragédia ambiental do país. As donas da Samarco, mineradora responsável pela operação da barragem de dejetos da mineração que rompida, são as duas maiores mineradoras do mundo, a Vale e a BHP, australiana. A Vale, privatizada em 1997 pelo governo de Fernando Henrique Cardoso, alcançou nos governos de Lula e Dilma o status de ser uma entre as 20 empresas com mais lucro líquido do planeta, considerando todos os ramos.

A tragédia escancara o caráter de subordinação dos chefes das instâncias do poder executivo nacional às mineradoras. O modelo privatizante de FHC, Aécio neves e Anastasia ganhou a cara petista nos governos de Lula, Dilma Roussef e Fernando Pimentel com os incentivos bilionários do BNDES ao grande capital privado nacional. As demissões e a mão de obra precarizada foram a regra para manter os exorbitantes lucros dos capitalistas nacionais e estrangeiros. Não é uma coincidência que os mortos são em sua maioria terceirizados.

Para acabar com a iminência de novas tragédias é necessário tirar a mineração das mãos de quem espolia as riquezas naturais a mando dos interesses imperialistas, esses que são aprofundados pelos modelos de exportação de minério de ferro com baixo valor agregado.

Contra os interesses nacionais e imperialistas das classes dominantes e seus governos é que impulsionamos com o Esquerda Diário a campanha pela re-estatização da Vale sob controle dos trabalhadores. Apenas a expropriação da empresa, sem a indenização para seus antigos donos, é que pode subverter o modelo de espoliação imperialista das riquezas naturais levados a cabo hoje pelos governos petistas.

O controle operário de uma Vale caso estatizada significaria arrancar das mãos de um punhado de capitalistas e altos executivos o funcionamento da empresa para colocar sua produção a serviço de quem mais interessa: os trabalhadores e o povo. Essa é a única forma de acabar com a corrupção, tragédias como essa e garantir nenhuma demissão a efetivação dos terceirizados sem seleção prévia ou concurso público, colocando um fim à precarização do trabalho que mais uma vez mostrou que mata.
Para ser um colaborador da campanha acesse o site Esquerda Diário, compartilhe o logo da campanha e articule em seu local de trabalho, escolas e faculdades iniciativas contra a Vale e a Samarco, pela reestatização da empresa e entre em contato conosco via site, whatsapp e facebook.




Tópicos relacionados

Tragédia em MG-ES   /    Belo Horizonte   /    Política

Comentários

Comentar