Política

CRISE NO RIO DE JANEIRO

O Globo fala em editorial que o funcionalismo está enforcando o Rio. Não seria Pezão, Temer e eles?

Carolina Cacau

Professora da rede estadual em Nova Iguaçu-RJ e dirigente do Quilombo Vermelho - Luta Negra Anticapitalista e MRT

sexta-feira 10 de fevereiro de 2017| Edição do dia

O editorial de hoje do Jornal O Globo é intitulado “Risco de colapso no RJ impõe reação dos políticos.” É um editorial novamente revoltante. Diariamente lemos pérolas de como a UERJ precisa ser parcialmente privatizada, a CEDAE destruída e nossos direitos idem. O problema para o Globo é que ALERJ estaria “garroteada por corporações”, traduzindo: esganada, enforcada pelos trabalhadores. A solução para O Globo, que Picciani e companhia nos ataque e salve o plano defendido pela família Marinho – dona da Rede Globo.

Lá do conforto de suas isenções fiscais, das sombras das melhores mansões na Lagoa e no Jardim Botânico, essa família e suas mídias que representam os interesses dos maiores capitalistas, dizem que somos nós o problema.

Não, não somos os trabalhadores que sequestramos o Estado: são eles, os Cabral, Pezão, Picciani, a família Marinho – dona da Globo que sempre os apoiou e defende esse criminoso pacote – são os empresários beneficiários das dolosas “isenções fiscais”. Eles que sequestraram o Estado! Sequestraram, nos enforcam, e ainda querem como resgate que paguemos com nossos direitos elementares: salários, aposentadorias e até mesmo a água.

O editorial de hoje desse jornal quer nos convencer que todos trabalhadores cariocas só temos uma escolha: o pacote ou o colapso.

Ali no fantástico mundo global não há feridos nos protestos violentamente reprimidos ontem, não há trabalhadores e jovens passando por cirurgia graças a ação da PM carioca. Não há gente que não consiga ser atendido nos hospitais. Não há pessoas que passam fome depois do fechamento dos restaurantes populares. Não existe a UERJ quase fechada. Não, nada disso é o colapso para o Globo. O colapso para eles está no futuro.

O colapso viria se os deputados não entregarem a CEDAE e não acabarem com nossos direitos. Picciani é o salvador do Rio. Eis uma novela sinistra!

Mas essa novela não precisa acabar do jeito que a família Marinho quer. Podemos derrotar toda essa violência do pacote de Pezão e Temer, derrotar a violência da PM para garantir o mesmo pacote. Para isso é preciso agir e já. É preciso, como escrevi ontem que Freixo, os parlamentares do PSOL e os sindicatos organizem urgentemente uma imensa manifestação em solidariedade aos feridos, contra a privatização da CEDAE, contra o pacote de Temer e Pezão.

O colapso verdadeiro do Rio é o colapso de nossos direitos. O que querem para a CEDAE e para o funcionalismo logo servirá para todos os trabalhadores do Rio e de todo Brasil. É preciso de toda solidariedade dos trabalhadores do país inteiro. Mas para isso é necessário agirmos. E agirmos juntos, com assembleias, greves e com toda força, tirando as grandes centrais sindicais como a CUT e CTB de sua calmaria frente aos ataques.

Os maiores símbolos da luta contra a direita, especialmente Freixo, deveriam ser a ponta de lança de construir a manifestação e organização que precisamos.

A resposta ao colapso é para mim também a luta consequente contra os capitalistas. Contra os Marinho, Pezão, Picciani e cada empresário beneficiado por “isenções fiscais” e pela dívida pública. Por isso, como eu levantava na última campanha eleitoral quando fui candidata a vereadora pelo PSOL, reafirmo: que todo político ganhe igual a uma professora, pelo fim do pagamento da dívida, impostos sobre as fortunas dos capitalistas!




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar